Apple permite que desenvolvedores do iPhone redefinam lista de aparelhos para Ad Hoc uma vez por ano

Artigo escrito em colaboração com o Breno Masi.

Em meados de maio, divulgamos aqui no MacMagazine que a Apple não permitiria a redefinição da lista de aparelhos habilitados para Ad Hoc no iPhone Developer Program. Isso significava que, completados os 100 dispositivos liberados para cada desenvolvedor, ele ficava sem poder alterar quaisquer dos IDs cadastrados — apenas removê-los, sem poder adicionar um outro no lugar.

Há algumas semanas, porém, o Joaquim Venancio nos avisou que a Apple poderia ter alterado a sua política — em partes. Visando a combater a pirataria mas ao mesmo tempo não prejudicar quem utiliza seus sistemas de forma justa, ela agora permite que a lista seja redefinida uma vez por ano — isto é, sempre que o desenvolvedor renovar a sua assinatura. Aliás, estamos numa época em que muitos devem estar vendo um aviso como este:

Fim do membership no iPhone Developer Program

A imagem abaixo, por sua vez, mostra a confirmação de renovação de assinatura do programa. Os benefícios cedidos a quem paga US$100/ano são, basicamente: dois chamados de suporte técnico; e, como dissemos, a redefinição da lista de aparelhos — a partir de hoje, no caso abaixo.

Assinatura renovada no iPhone Developer Program

No aviso a seguir, a Apple mais uma vez alerta sobre o limite de 100 slots e afirma que, para conseguir adicionar novos dispositivos sem que o limite seja afetado, o desenvolvedor precisa limpar toda a sua lista. Caso contrário, qualquer ID removido posteriormente não liberará um espaço entre os permitidos.

Reset devices no iPhone Developer Program

Ainda não é o ideal para quem realmente precisa disso apenas para testes no desenvolvimento de apps, mas, se pararmos para pensar, até que 100 aparelhos é um número bastante satisfatório. A coisa só não funciona, evidentemente, se a empresa trabalha com um número muito grande de títulos que costumam ser testados por grupos de pessoas diferentes. Aí, realmente, o modelo atual complica.

A estrutura inclusive é bem parecida com a que a Apple criou na iTunes Store: a loja permite que o usuário autorize até cinco computadores para a reprodução de músicas e vídeos adquiridos por lá, mas se a pessoa não tiver acesso às máquinas para desautorizá-las manualmente e liberar slot por slot, só é possível limpar a lista toda também uma vez por ano.

Posts relacionados

Comentários