Apple acusa Psystar de destruir evidências

Enquanto os principais executivos da Apple estão depondo no caso contra a Psystar, o departamento jurídico da firma de Cupertino veio a público recentemente acusá-la de destruir evidências que possam incriminá-la por infringir direitos autorais do Mac OS X. De acordo com as poucas informações que surgiram sobre o caso, as informações apagadas das cópias do SO deviam ser preservadas para atender a leis norte-americanas.

Psystar fight Apple

Com essa nova acusação, a Apple possui uma grande prova de que a fabricante de clones violou essas leis e muitas outras, modificando o Mac OS X e instalando-o em máquinas não-autorizadas para tal. Para piorar ainda mais a coisa no lado da Psystar, a Maçã lembrou de uma declaração feita pelo CEO Rodolfo Pedraza, em que ele especificou as modificações que sua empresa fazia para burlar as tecnologias de proteção do sistema.

A justiça deverá ouvir essa nova acusação com calma em breve — mais especificamente em uma audiência em 20 de agosto, um dia após o depoimento de Simon Patience, um dos principais engenheiros por trás do Mac OS X. Se achar a acusação válida, a Psystar poderá ser forçada a ceder para análises o código empregado, sendo penalizada caso não o faça. Tudo isso é favorável para a Apple, mas o julgamento dessa novela ainda está longe.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…