Pinch Media responde aos questionamentos feitos sobre os dados que coleta de iPhones/iPods touch

Da mesma forma que a Palm fez ao ser questionada sobre o que coletava de dados pessoais dos seus usuários no Pre, a Pinch Media veio a público hoje, a fim de responder aos comentários feitos pelo iPhone Dev Team sobre as suas APIs no iPhone OS, que podem ser usadas para coletar algumas informações curiosas de quem convive na plataforma móvel da Apple.

Pinch Media

Em um artigo no seu blog oficial, a empresa admitiu que coleta muitas informações de cada usuário, o que acontece apenas por meio de determinados títulos da App Store que possuam código dela. Todavia, a Pinch Media declarou que nada é usado para identificar ou contatar ninguém e, quando todos os dados vão para seus servidores, eles são agregados em várias categorias diferentes, em vez de serem individualmente armazenados.

O resultado de tudo isso é o que os desenvolvedores de aplicativos estão habituados a ver no site da Pinch Media, e nada mais. Porém, uma das coisas mais intrigantes de usá-lo em determinados softwares — que também é um dos motivos pelo qual eu não confio na forma como eles agem quando possuem essas APIs integradas — é o fato de não permitirem que o usuário controle os dados enviados, ou negue todas as tentativas de coletar qualquer informação pessoal.

Se não estivermos interessados em saber dessas coisas com detalhes, nunca teremos conhecimento de que certas informações estão indo parar nas mãos da Pinch Media e, mesmo quando tivermos interesse, seremos prejudicados por limitações que o próprio modelo de negócio da App Store e a infraestrutura do iPhone OS possuem.

Explico: os dois jeitos de se pedir o consentimento do usuário sobre a coleta de dados da Pinch Media são através de um acordo de privacidade que o usuário deve aceitar, ou desativando a coleta pelo próprio app. O primeiro caso não se aplica à loja da Apple, porque você não é forçado a ler nada antes de comprar (ainda bem! :-P) e são poucos os desenvolvedores que explicam isso na primeira inicialização do software. O segundo, por sua vez, não é suportado pelo sistema devido a questões de segurança, de forma que devemos ficar atentos a quando nos é pedido para ceder apenas nossa localização.

Assim, ainda convém ficar alerta ao que certos produtos vendidos por terceiros requerem no iPhone OS e se a nossa privacidade é levada a sério. No caso da Pinch Media, pelo menos, é possível esperar para o futuro formas mais explícitas de tornar os usuários cientes do que ela coleta nos gadgets, mas ainda não há data para essas iniciativas aparecerem.

Posts relacionados

Comentários