Snow Leopard: entendendo o novo método de entrada de caracteres chineses via trackpads multi-touch

Além do suporte nativo para o método de entrada dos teclados sem a tecla cedilha — vulgo “Estados Unidos Internacional” (viva! :-D) —, muitos outros aprimoramentos foram adicionados ao Mac OS X 10.6 Snow Leopard. Entre tantas funções inovadoras implementadas no novo sistema operacional da Apple, destaco aqui as voltadas para o Oriente — principalmente para estudantes de línguas japonesas/chinesas —, dentre as quais está o suporte à escrita diretamente pelo trackpad multi-touch.

Escrita chinesa multi-touch via trackpad no Snow Leopard

Por uma questão de hardware, infelizmente esta funcionalidade só está disponível nos MacBooks Pro lançados a partir de outubro de 2008, MacBooks lançados a partir de janeiro de 2009 (exceto o modelo branco) e MacBooks Air. Neste artigo, descrevo um pouco o funcionamento desta ferramenta no Felino das Neves e as alterações dos métodos de entrada de teclado.

Como aficionado de idiomas, escrevo no Mac em chinês, japonês e português, e uma das novidades nesta versão é a mudança de entrada, que é mais visual e prática. Quando ativo o atalho de teclado correspondente ao método de entrada, é apresentada agora uma tela semelhante à que aparece quanto alternamos entre programas pelo atalho Command + Tab. Nas versões anteriores do Mac OS X, só era possível visualizar a mudança na barra de menus.

Menu de Entrada de Teclado
Menu de entrada de teclado no Snow Leopard

Há suporte de entrada para o chinês simplificado (usado na China continental) e também para o tradicional (de Taiwan). Ao contrário do que muitos pensam, infelizmente ainda não há compatibilidade total com o método de entrada japonês.

Diferentemente do chinês, este possui mais dois alfabetos além dos famosos ideogramas Kanjis/Hanzi, que são o Hiragana e o Katakana. Por ora, não há o reconhecimento destes caracteres. Senti falta de ainda outra coisa, que é a ausência do reconhecimento do alfabeto fonético de Taiwan — o Zhuyin —, uma forma de representação fonética simplificada do chinês.

Apesar de todos esses fatores, o recurso continua sendo muito útil, já que o japonês e o chinês compartilham muitos ideogramas entre si. O método de entrada pelos trackpads multi-touch permite uma maneira diferente de interação e estudo que dispensa acessórios, como uma tablet. Por exemplo, se me deparo com uma imagem com um ideograma desconhecido e quero pesquisar no dicionário do Mac, posso utilizar este recurso para adicionar o caractere.

Por ironia, este era um dos recursos de que sentia falta e que já existia no Windows XP, veja só! 😛

Método de entrada japonês da Microsoft
Método de entrada japonês da Microsoft
Método de Entrada Microsoft Japonês 2
Método de entrada japonês da Microsoft

No geral, o reconhecimento de caracteres presente no novo sistema é muito eficiente se for usada a ordem de traços correta, claro. Sem dúvida uma melhoria muito bem-vinda para quem usa o Mac e precisa escrever em chinês ou em japonês. 😉

Posts relacionados

Comentários