David Pogue, do The New York Times, fala com Steve Jobs após evento de hoje

O principal colunista de tecnologia do jornal norte-americano The New York Times, David Pogue, falou hoje com Steve Jobs após o término do evento musical da Apple e coletou algumas impressões dele sobre os produtos anunciados e também sobre a situação da empresa com a sua volta. Muitas coisas começaram a ser projetadas em Cupertino após sua saída e ainda estão em andamento, junto de outras novidades que ganharam foco.

Steve Jobs e nome iPod touch

No fim das contas, as suas “férias” não interferiram muito no andamento da Apple — o que é bom, pois a empresa possui excelentes funcionários em diversas áreas para produzir o que produz. Jobs prometeu “coisas realmente boas” a caminho do lançamento e, seja lá o que forem, saberemos em breve.

Ao falar de eBooks, Jobs deu uma leve alfinetada na Amazon.com e no seu Kindle. “Tenho certeza de que sempre haverá aparelhos dedicados e talvez eles tenham algumas vantagens por serem capazes de fazer apenas uma coisa”, disse ele, referindo-se ao fato de o iPod touch ter bem mais que isso a oferecer por meio da iPhone App Store. Apesar de reconhecer qualidades de produtos como o da Amazon, ele não acha que serão mais bem-sucedidos que gadgets como os da Maçã, pois ele pensa que suas fabricantes não dão a devida importância às suas reais capacidades.

Depois, ele falou sobre o que eu acredito ter sido o assunto mais polêmico dentre todos os anúncios: o fato de o novo iPod touch não ter câmera como o nano 5G. Pela afirmação do CEO da Apple, eu penso que a decisão não foi de má fé: o motivo está relacionado com a forma como a empresa escolheu posicionar “o irmão do iPhone” no mercado. O nano, por sua vez, precisava de um diferencial, e o trabalho de implantar um sistema de gravação de vídeo com efeitos aparenta ter sido bastante interessante, nas palavras de Jobs.

A Apple não sabia como fazê-lo no início, até que veio a iPhone App Store. Foi quando eles viram o potencial do iPod touch para jogos e como os usuários adoraram; por isso, fizeram-no ter um hardware mais potente do que o iPhone 3G no ano passado. Para complementar esse sucesso, então, bastava fazer dele o melhor jeito de se chegar à App Store sem muito dinheiro — considerando a possibilidade de dispensar todos custos para “se casar” com uma operadora — e também torná-lo mais rápido.

Para terminar a entrevista com Pogue, Jobs falou sobre sua saúde. “Eu me sinto bem. Preciso ganhar cerca de 30 libras [aproximadamente 13,6 quilos], mas eu me sinto muito bem. Estou comendo como um louco. Muito sorvete”, disse.

Posts relacionados

Comentários