iPhone será a base da vida digital, aponta Jason Kottke

Jason KottkeJason Kottke, designer e blogueiro profissional, nos alerta em seu blog que talvez o mercado não tenha se dado conta do verdadeiro impacto do crescimento do iPhone.

O mix de inovações tecnológicas com a App Store — aqui, em particular destaque — traz ao smartphone funcionalidades tão diversas que, aos poucos, ele conseguirá substituir em nossas vidas o espaço que antes era ocupado por outros gadgets.

Se você pensar bem, ele tem razão. Quem precisaria de GPS, videogame portátil, câmera digital, leitor de livros eletrônicos, tocador de DVDs, reprodutor de MP3s ou até de um assistente digital portátil (PDA) — acho que você já entendeu o espírito da coisa — se, em um único aparelho, é possível encontrar todas essas funcionalidades?

Kottke diz ainda que, se os outros fabricantes não estão conscientes dessa competição direta com a Apple, é bom ter certeza de que ela está ocorrendo, e cita algumas declarações feitas no evento musical da semana passada.

Desde Phil Schiller, que comenta que “o iPod touch é um grande videogame, pois não há interfaces com suporte a múltiplos toques em outros aparelhos, os jogos são caros, não há uma App Store própria e eles nem trazem um iPod embutido”, até o próprio Steve Jobs, que, em entrevista ao colunista David Pogue, deixou claro que a Apple não tem a intenção de construir produtos com um único propósito.

Kottke é brilhante ao intitular sua análise: “Sua empresa? Há uma aplicativo para isso” (em inglês: “Your company? There’s an app for that”), que ao mesmo tempo brinca com o mote criado pela Apple para divulgar o que é a App Store, como sugere o uso de um sólido princípio para dispositivos multifuncionais.

A adição de valor que a Apple tem conseguido agregar é geométrica, como explica melhor Umair Haque, diretor do Havas Media Lab, no artigo “The Awesomeness Manifesto”. O iPhone se tornou a base de um ecossistema em que qualquer nova funcionalidade ou aplicativo torna um ao outro ainda melhor e, por fim, beneficia o produto.

Talvez os verdadeiros competidores do smartphone da Maçã não sejam os BlackBerries, Androids, Palm Pres e até Windows Phones da vida. Talvez a Apple esteja de olho no Amazon Kindle, no Nintendo DS, no Flip SD e em outros dispositivos “completamente desnecessários” (numa visão cupertiniana) em nosso cotidiano.

Você já contou quantos gadgets sumiram da sua vida depois do seu primeiro iPhone/iPod touch? 😉

Posts relacionados

Comentários