Gerente de produto da Adobe detalha novidades do AIR 2.0

Adobe AIREu cheguei a fazer alguns comentários breves a respeito de novidades do AIR 2.0, revelado pela Adobe na sua última edição da MAX Conference, mas na semana passada um dos gerentes de produto da empresa, Christian Cantrell, compilou uma lista detalhada de todas as funções que estarão na nova versão do seu ambiente de desenvolvimento desktop para profissionais Flash. Nem todas as novidades conseguirão abranger 100% das plataformas no mercado, mas os usuários do Mac OS X poderão tirar proveito delas quase integralmente.

Na área de multi-touch, quem sairá beneficiado são os donos de MacBooks com trackpads que suportam essa tecnologia, pois a Adobe desenvolveu APIs para os aplicativos responderem a alguns tipos de gestos — com até dois dedos, apenas. Isso será suportado apenas pelo Mac OS X 10.6 Snow Leopard, mas há outros recursos que somente o Windows 7 suporta via hardware, com aqueles monitores que também podem substituir o mouse como um meio de entrada de dados, graças à possibilidade de reconhecer a interação do usuário com toques.

O AIR 2.0 também proporciona uma maior integração com diferentes sistemas operacionais e aplicativos. Conforme já mencionamos, existe uma nova interface de programação dedicada a lidar com o suporte à abertura de certos formatos de arquivo, dentro do software padrão assimilado por cada usuário em sua respectiva máquina. Aliás, se esses arquivos tiverem sido baixados a partir da web, o aplicativo poderá chamar o painel/janela de segurança de qualquer sistema operacional suportado, para que o usuário reveja a autenticidade deles antes de abri-los.

Há uma integração aprimorada com dispositivos de armazenamento externos e obtenção de conteúdo a partir de servidores na rede, facilitando ainda a geração de arquivos sob demanda em aplicativos. Se os desenvolvedores quiserem que eles se integrem ainda mais com sistemas operacionais, é possível fazer deles processos nativos, com os seus respectivos instaladores. O melhor é que a própria Adobe está prometendo ferramentas para construí-los, então não será preciso que os profissionais que trabalham com AIR deixem de usar os programas que dominam para cuidar disso.

Eu cheguei a falar do suporte a P2P (peer-to-peer) no artigo anterior, mas a verdade é que muitos outros recursos de conectividade e rede são aguardados na próxima versão da tecnologia, incluindo IPv6, acesso a informações de baixo nível sobre redes, protocolos mais avançados (como FTP) e possibilidades de encriptação de conexões. Desenvolvedores também poderão trabalhar com altas resoluções, acessibilidade, uso de microfone (com processamento local de áudio) e diversos aprimoramentos em impressão, performance e uso de conteúdo web — via WebKit com as mesmas funções do Safari 4, diga-se de passagem.

Uma demonstração de algumas das muitas funções na próxima geração da tecnologia pode ser vista no vídeo a seguir:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=znXCkzfMHr4[/youtube]

O AIR 2.0 só deverá ser lançado oficialmente em 2010. Uma versão beta pública, porém, está prevista para lançamento ainda este ano.

[via 9 to 5 Mac]

Posts relacionados

Comentários