Conheça Ken Segall, o homem que sugeriu o nome “iMac” ao desktop all-in-one da Apple

iMac G3

Ken SegallSteve Jobs é um dos principais homens por trás de toda a inovação da Apple, mas, insistindo na ideia que já expus no MacMagazine uma ou outra vez no passado, ele não é o único que faz história na empresa — quem acompanhou de perto a forma com que ela trouxe novidades ao mercado no seu período de licença provavelmente vai concordar comigo.

Publicidade

Estar rodeado de bons profissionais, sejam eles amigos ou colegas de trabalho, pode ser valioso e gerar ideias que marquem a vida das pessoas (até eu posso dizer que vivo isso com quem trabalho hoje), e esse é um fato que se repetiu diversas vezes na história da Apple, inclusive nos momentos mais importantes da sua história.

Uma das pessoas que refletem isso é Ken Segall, que também foi diretor de criação da agência com a conta da Apple na época da volta de Jobs ao comando da empresa. Ele e sua equipe (liderados por Lee Clow) idealizaram e escreveram a campanha “Think Different”, que chamou a atenção de Jobs pelo momento que sua empresa passava, mas se tornou conhecida internacionalmente após os seus cinco anos de duração e os diversos prêmios, incluindo o primeiro Emmy para um comercial.

Segall e a agência de publicidade da Apple também foram os primeiros a conferir o iMac ainda como um protótipo sem esse nome, antes de ser lançado em 1998. “Ele era muito radical”, disse o publicitário, que sugeriu o nome escolhido posteriormente por Jobs, ligando a simplicidade e caráter únicos do primeiro Macintosh com todas as inovações e coisas grandes que viriam com o advento da internet.

Publicidade

O nome “iMac” não atraiu a atenção do CEO no início, mas aos poucos aparenta ter se tornado o ideal para a máquina, e assim aconteceria com outros produtos da Apple para consumidores domésticos. Eu não imagino como ela nomearia seus produtos sem o “i”, e Segall conta que abandonar essa nomenclatura foi tema de discussões no passado, sem conclusão definitiva. “Há um desejo de mantê-lo consistente. […] Não é claro como deveria ser, mas funciona”, disse.

Esses destaques foram tirados de uma entrevista dada pelo publicitário para Leander Kahney, do Cult of Mac, e o artigo completo dele sobre o assunto é uma leitura muito interessante. Kahney, para os que não conhecem, também escreveu livros e participou de filmes sobre o Mac e a história da Apple (confira nossa entrevista com ele, em janeiro deste ano); sua publicação impressa mais recente foi A cabeça de Steve Jobs, bastante comentado por aqui.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…