Apple quer encerrar processo aberto pela Psystar sobre o Mac OS X Snow Leopard

Ainda na semana passada, a Apple pediu ao juiz federal do estado note-americano da Flórida que dê como encerrado um processo aberto pela Psystar em agosto, acusando-a de restringir o Mac OS X Snow Leopard ilegalmente aos computadores que produz. Como a fabricante de clones já perdeu uma briga em San Francisco e foi considerada culpada por violar os direitos autorais da sua rival, a lide que começou há três meses poderá se tornar um problema ainda maior, mas para ela própria.

Publicidade

Psystar fight Apple

No pedido enviado ao juiz William Hoeveler acerca do assunto, a Apple tenta convencê-lo de que o processo aberto pela Psystar na Flórida é uma outra forma de levantar as mesmas questões negadas pela corte de SF no início do mês, quando a fabricante de clones perdeu no julgamento do caso. Se as alegações dela são as mesmas nos dois processos, não existe mais a necessidade de que Hoeveler mantenha a questão das duas empresas na justiça.

Além disso, a Apple contestou as acusações que a Psystar fez quando iniciou a briga na Flórida. Sem se estender muito nos documentos enviados para o juiz, ela possui chances de conseguir convencê-lo de que a tecnologia do Mac OS X em questão nos dois processos é a mesma, descartando a possibilidade de o julgamento em San Francisco abranger apenas o Mac OS X Leopard.

Publicidade

Apesar de centenas de recursos e até outras tecnologias terem sido acrescentados ao Mac OS X desde 2001, a essência da sua existência e a forma como é exclusivo aos computadores da Apple não mudou nos últimos oito anos. Por isso, a Maçã declara que a Psystar não deve estar livre para usar nenhuma versão deste sistema operacional, seja atual ou em desenvolvimento.

Enquanto esse pedido da Apple é apurado pelo juiz Hoeveler, mais fases do processo californiano ainda virão pela frente. O seu julgamento definitivo ainda está marcado para 2010, e daqui a 15 dias o juiz William Alsup ouvirá um pedido de injunção feito contra a Psystar: caso aceito, ela não poderá vender mais nenhum computador com o Mac OS X instalado, além de ser forçada a pagar US$2,1 milhões para sua rival.

[via InfoWorld]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…