Gartner prevê que lojas de aplicativos móveis renderão US$6,8 bilhões em 2010

Miniatura do logo da Gartner

Mais uma vez, o conceito não era inédito, mas a Apple parece ter tido a epifania certa ao abrir a iPhone App Store — tanto que foi logo seguida por todo o resto da indústria. Atualmente, é complicado pensar num aparelho móvel sem se perguntar “Ele tem apps?”, de forma que o software se torna tão importante quanto o aparelho em si. Comprovando essa tendência, a Gartner liberou um relatório com previsões para as várias lojas de aplicativos móveis hoje existentes.

A previsão para este ano é de que sejam baixados 4,5 bilhões de apps (82% deles gratuitos) nas diversas plataformas móveis (iPhone OS, Android, BlackBerry, Windows Phone, Symbian, etc.), movimentando diretamente cerca de US$6,2 bilhões. Com receitas vindas de publicidade móvel, estima-se que os ganhos serão da ordem de US$600 milhões. As projeções para 2013 são substancialmente mais impressionantes: os downloads estarão acima dos 20 bilhões (87% deles gratuitos), gerando um total de quase US$30 bilhões (25% dos quais serão oriundos de publicidade em aplicativos gratuitos para o consumidor final).

“Lojas de aplicativos serão o foco durante 2010 para a indústria móvel, e as próprias aplicações ajudarão a determinar a vencedora dentre as plataformas móveis”, disse Carolina Milanesi, diretora de pesquisa da Gartner. “Os consumidores terão uma ampla gama de lojas e acabarão por ir àquelas que facilitarem o processo de encontrar aplicativos de seu interesse e pagar por eles, quando preciso for. Desenvolvedores terão que considerar cuidadosamente não apenas que plataforma apoiar, mas também em que lojas promover seus aplicativos.”

Recentemente a iPhone App Store, loja da Maçã, registrou três bilhões de downloads em cerca de um ano e meio de existência. Dada a aceleração que este número vem sofrendo, não é difícil imaginar que as previsões da Gartner para o mercado móvel como um todo sejam plausíveis.

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários