Empregado da Adobe defende Flash apelando para a pornografia, EUA se inflamam, Jobs ri litros [atualizado]

Não sei se Steve Jobs riu litros mesmo, mas deve ter rido.

Acho que conhecemos razoavelmente bem nosso amigos ianques, não é? Num filme, uma cabeça pode aparecer explodindo, soldados podem metralhar outros seres humanos à vontade, mas se uma mulher tirar o sutiã para amamentar… Ooooh! Seios! Pornografia! Temos que proteger as criancinhas! É estranho, portanto, que Lee Brimelow tenha tido a coragem (ou honestidade, ou infelicidade) de elencar um site de pornografia hardcore num post do TheFlashBlog que mostra o que as pessoas estão perdendo ao usar o iPad para navegar.

A internet tem pornografia?! o.0 Estou chocado. A repercussão negativa foi tão grande que ele já retirou a imagem “ofensiva” (acima, pixelada como no post original).

Brincadeiras à parte, uma coisa realmente pega mal nessa decisão de Brimelow: o site que ele usou para ilustrar a incompatibilidade com o Flash tem uma versão otimizada para iPhone. O fato é: as pessoas não precisam mais usar o Flash sempre que quiserem um conteúdo multimídia ou uma experiência rica ao visitar uma página. Já há uma alternativa para vídeos (HTML5) e muitos outros recursos estão nascendo para tornar o plugin da Adobe algo do passado — para usuários do Mac OS X, já vai tarde.

Muita coisa boa pode ser feita com Flash? É óbvio que sim: chegamos até aqui graças a ele. Contudo, acho que é hora de deixar tecnologias mais práticas, seguras e que demandem menos ciclos de CPU subirem ao palco, pois o Flash teve seu momento e já passou (mesmo).

Ah, mais uma coisa: Ryan Cooley tem uma visão interessante do mesmo argumento que Brimelow usou. 😉

[via Daring Fireball]

Atualização (31/1)

Brimelow atualizou o post controverso com o conteúdo a seguir:

Atualização: Sinto que preciso deixar uma coisa clara para impedir a avalanche de más interpretações deste post. Primeiramente, este não é o blog oficial sobre Flash da Adobe. Sou um dentre centenas de empregados que têm um blog. Em segundo lugar, a respeito da screenshot do site adulto, ela foi adicionada na tentativa de fazer uma piada. Não surpreendentemente, a Adobe não achou graça nenhuma e foi por isso que eu removi a imagem. Então não há nenhuma tentativa oficial da Adobe para “apelar para a pornografia” como alguns veículos de “notícias” estão relatando. Trata-se apenas de um único empregado que esqueceu do fato de que algumas pessoas se sentem ofendidas pela ideia de que há conteúdo adulto na web. Quanto à ideia central deste post, a Adobe crê que algo que ignore uma grande parte da web não pode representar uma experiência definitiva de navegação. Pessoalmente eu adoro produtos Apple, especialmente meu iPhone, e é por isso que estou tão mexido com tudo isso.

Como você pode notar, o título de nosso post foi alterado para refletir este esclarecimento (adicionamos “Empregado da” ao início). E, particularmente, eu entendi a piada que Brimelow tentou fazer — só não acho que o contexto tenha sido feliz, pelo fato de sabermos que a sociedade nos EUA não vê conteúdo adulto com bons olhos, apesar de produzi-lo aos montes, e porque o site adulto usado para ilustrar a incompatibilidade com Flash (assim como muitos dos outros) tem uma versão otimizada para iPhones.

Posts relacionados

Comentários