Brightcove também suportará reprodução de vídeos em aparelhos baseados no iPhone OS

Brightcove anunciou no final da semana passada que suportará o padrão HTML5 para reprodução de vídeos através da sua plataforma sob demanda, visando cobrir as necessidades por conteúdo de usuários de iPhones, iPods touch e iPads. Por atender diversos clientes em dezenas de países, estima-se que a quantidade de sites que oferecerão vídeo sem Flash crescerá significativamente no futuro — incluindo, por exemplo, o site do jornal norte-americano The New York Times.

Quando um aparelho for incapaz de reproduzir vídeos baseados na plataforma da Brightcove, ela automaticamente exibirá um player em HTML5, o qual permitirá a reprodução deles diretamente na página ou (no caso de iPhones e iPods touch) em tela cheia, por meio do QuickTime Player. O projeto abrange não apenas a plataforma móvel da Apple, mas também aparelhos com Android — aparentemente, computadores convencionais com suporte a Flash ficarão de fora por enquanto, mesmo que contem com um browser similar ao Safari.

Na implementação atual da Brightcove, apenas dispositivos móveis são suportados com base na identificação do user agent do navegador — até dá para burlar isso no Safari em um desktop, mas é mais tortuoso do que deixar o Flash reproduzir o vídeo, por enquanto. Conforme a empresa começar a suportar recursos mais avançados em HTML5 (como players construídos com <canvas> e CSS) e se tornar capaz de enviar os mesmos dados de audiência e anúncios para os seus clientes, existe a possibilidade de o Flash ser largado de vez, mas no momento é bem remota.

Para que a plataforma HTML5 da Brightcove comece a ser adotada em massa pelos seus clientes, ainda levará um bom tempo — o jornal NYTimes e a Time Inc. são os primeiros a suportá-la, enquanto os demais ficaram de fora devido à falta das ferramentas de audiência comentadas acima. De qualquer forma, a possibilidade de trabalhar com dispositivos que não suportam Flash começou a dar o que falar, contrariando quem pensava que isso apenas seria feito por um site ou outro.

[via TechCrunch]

Posts relacionados

Comentários