John Gruber rumina detalhes da WWDC, antecipa algo que poderá vir no Mac OS X 10.7

Ler nas entrelinhas dos comentário de John Gruber pode não ser uma ciência exata, mas ainda assim é mais divertido que tentar entender o conteúdo da Norma Hipotética Fundamental de Kelsen (dica: ela é quase a resposta para a vida, o universo e tudo mais).

Enfim, ontem o blogueiro ruminou no Daring Fireball alguns detalhes da WWDC deste ano, destacando pontos importantes e, como não poderia deixar de ser, soltando alguma coisinha para especularmos sobre.

Foco & Participantes

Para Gruber, esta foi a WWDC mais focada de todos os tempos, e talvez nunca mais vejamos uma tão direcionada. Segundo ele, várias sessões ficaram muito lotadas por causa disso: mesmo o número de participantes não sendo maior que no evento do ano passado, em dados momentos teria parecido que havia muito mais gente. Avalie se a Apple não tivesse limitado as vagas em 5.200 — as quais, diga-se, esgotaram em pouco mais de uma semana.

E, por sinal, os participantes eram, em sua maioria, novatos em WWDCs — e as sessões condiziam com isso, pois muitas abrangiam assuntos elementares. Não obstante, desenvolvedores de tempo integral para o iOS também estão crescendo em número, e não apenas por causa da App Store: desenvolvimento para ambientes empresarias estaria alimentando bastante o mercado para os programadores.

Mac OS X & GCD

Memorize esta sigla: GCD. Ela vem de Grand Central Dispatch. Certamente ouvimos falar muito dele na época do lançamento do Mac OS X 10.6 Snow Leopard, por ser uma tecnologia que permite implantar com relativa facilidade o suporte a múltiplos núcleos. Contudo, como nota Gruber, o GCD e seu uso de blocos facilita também a programação para sistemas de apenas um núcleo, tornando qualquer software compatível com máquinas mais parrudas sem necessariamente ser mais difícil de criar.

No futuro, gadgets rodando o iOS (iPad 2?) poderão tornar-se máquinas com vários núcleos de processamento e os apps feitos hoje para o iOS 4 já estarão prontos para tirar proveito disso.

Ah, e o Mac OS X 10.7? Ele está longe de ser um sistema morto, e se tem uma que o iOS fez por ele foi antecipar suas novidades (como sistematicamente vem ocorrendo entre Mac OS e iOS nos últimos anos: um aprendendo com o outro). Gruber acredita que um recurso do iOS 4, AV Foundation, será parte integrante do novo sistema operacional para Macs. O blogueiro indica ainda que o desenvolvimento do 10.7 está ganhando tração e claramente progredindo.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…