O giroscópio do iPhone 4 abre um mundo de possibilidades para apps de geolocalização

Pensava que o novo sensor de movimento do iPhone 4 só seria bem usado em jogos? Pois é, eu achava — até por “culpa” da apresentação do recurso na keynote de abertura da WWDC 2010. Desenvolvedores entrevistados pela Forbes, porém, me fizeram mudar de opinião: a presença de um giroscópio num smartphone pode fazer a diferença em vários tipos de aplicações.

A bússola digital introduzida com o iPhone 3GS tem algumas limitações que serão suplantadas pela presença de um detetor de rotação: para funcionar idealmente, o aparelho precisa estar paralelo ao solo e é preciso ter um sinal forte. Apps de realidade aumentada, por exemplo, são tipicamente usados com a câmera do iPhone apontando para o horizonte (logo, o aparelho fica perpendicular ao solo) e um aplicativo de mapas pode perder o sinal ao passar por um túnel ou regiões remotas.

Com o giroscópio, entretanto, esses fatores deixam de ser um problema. Isso sem falar que ele é muito mais preciso que a bússola na hora de registrar mudanças de orientação. Na opinião de Maarten Lens-FitzGerald, responsável pelo Layar, o novo sensor tornará seus apps “muito mais imersivos”.

Obviamente, isso não será exclusividade dos gadgets da Apple por muito tempo: por terem contato com fornecedores, concorrentes como a HTC e a Samsung já deviam ter uma ideia do que viria no iPhone 4 e estariam prontas para oferecer gadgets com recursos similares. Sabe como é, a concorrência favorecendo o consumidor. 😉

Posts relacionados

Comentários