Afinal de contas, os emails mostrados pelo Boy Genius Report eram ou não do Steve Jobs?

Ícone do Mail

Num enredo com mais reviravoltas que uma boa novela mexicana, os emails enviados por Jason Burford e supostamente respondidos pelo CEO da Apple voltaram ao centro do palco com uma declaração do Boy Genius Report ratificando a veracidade da comunicação.

Por que tanto auê em cima disso? Por algumas coisas, eu diria:

  1. O último email da conversação, com a polêmica frase “É apenas um telefone”, inicial e erroneamente foi atribuída a Steve Jobs. Esse era o grande furo jornalístico que fez dúzias de blogs comentarem a declaração (inclusive este que vos escreve). Tal erro foi corrigido apenas horas depois, e o BGR reconhece este ter sido um “imenso erro”.
  2. O AppleInsider noticiou, pouco depois de o artigo original ter ido ao ar, que o BGR teria comprado a publicação dos tais emails — e, de fato, ele reconheceu ter pago uma “quantia nominal” de “algumas centenas de dólares” pelas mensagens.
  3. Após entrar em contato com o pessoal de relações públicas da Apple, tanto o Fortune Tech quanto o Engadget disseram ter recebido negativas veementes de que toda a conversação publicada era falsa.
  4. Com o novo artigo, o BGR está basicamente dizendo que o PR da Apple mentiu solenemente para dois veículos de comunicação. Aqui, vale ressaltar, temos um caso de “Adão e Eva”: a maçã não importava nada, o que lascou foi a desobediência. O valor da “mentira” é irrisório (mesmo porque os emails são completamente meh, depois que a frase “É só um telefone” foi atribuída a Burford); o simples fato de a Apple ter mentido é bastante grave per se.

Que fim esse vai-e-vem terá? Deus sabe, mas amanhã é dia de expediente normal em Cupertino, e deveremos ver mais uma resposta oficial — isso se uma não sair antes. Em todo caso, eu apostaria no seguinte: “Houve uma confusão, pois na verdade queríamos negar a veracidade apenas do último email da sequência.” É isso, ou o pessoal do BGR realmente não soube checar os cabeçalhos das mensagens, e olha que eles fizeram tudo o que podiam, chamando especialistas e até acessando a própria conta Gmail do Burford (com o consentimento dele, claro).

Posts relacionados

Comentários