Acredite se quiser, o virar de páginas no iBooks fala a língua da Microsoft

Mãos segurando iPad com iBooks aberto

Quem diria que, já há alguns anos, um produtor de ereaders se preocuparia tanto em reproduzir a experiência de manipular textos impressos, não é mesmo? Enquanto a Amazon.com lidera esse mercado acima de todas as concorrentes, a Apple busca ser dona da melhor experiência de uso, por meio do iBooks.

Publicidade

Entretanto sua existência legal acaba de se tornar ainda mais complexa: como se não bastasse o fato de a Maçã ter “se inspirado” em apps já existentes para criar sua estante digital de ebooks, agora a Microsoft pode argumentar que patentes suas foram violadas no desenvolvimento do app.

Mãos segurando iPad com iBooks aberto

Em particular, a gigante de Redmond diz ter inventado a técnica de “virar páginas” através de gestos em um painel eletrônico, algo que a Apple concretizou em um produto real com o iBooks. Aparentemente, isso seria integrado ao projeto de tablet que a Microsoft tinha em seus laboratórios até um tempo atrás, mas o invento não foi concedido à empresa até agora. De qualquer forma, o pedido apareceu nos órgãos reguladores nos Estados Unidos antes de qualquer outra companhia fazer o mesmo, então na teoria ele possui mais chances de ser aprovado de fato.

Publicidade

Contudo, talvez isso não aconteça, já que outras empresas provaram ser capazes de reconstituir essa tecnologia sem basear-se na proposta da Microsoft. De qualquer forma, seria estranho alguém brigar pela autoria desse tipo de gesto: afinal de contas, virar uma página em qualquer instância é possível há alguns séculos, creio eu… 😛

[via TechCrunch]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…