Entrevista: João Domingues, CEO da Boxware, nova distribuidora nacional de softwares para Mac

Logo da Boxware

Há algumas semanas, divulgamos no MacMagazine a disponibilidade dos softwares Bento 3 e FileMaker Pro 11 no Brasil, trazidos para cá por uma nova distribuidora nacional de softwares, a Boxware. Hoje, tivemos a oportunidade de conversar com o João Eduardo Cardoso Domingues, CEO da empresa, sobre seus planos para o mercado nacional.

Logo da Boxware

Com 20 anos de experiência no mercado de Tecnologia da Informação, o matemático iniciou no final de 2009 o projeto de estruturar a partir do zero uma nova empresa de distribuição e representação de software capaz de produzir localmente os produtos que estão prestes a ir ao mercado.

 Com apoio de uma equipe de start-up composta por 15 colaboradores — a maior parte dos quais com expertise em logística de produtos de tecnologia da informação —, a Boxware iniciou suas operações efetivamente em maio, mas a ideia é chegar ao final de 2010 com 500 pontos de venda espalhados por todo o país e um faturamento de R$6 milhões em seu primeiro ano de funcionamento efetivo.

Sediada em São Paulo (SP), a empresa atua na distribuição nacional de softwares para o varejo, tanto para aplicativos Mac OS X quanto para PC/Windows. No entanto, desde meados de abril, a Boxware tem focado o seu trabalho na distribuição de soluções para o ambiente Mac e já colocou no mercado produtos como o Roxio Toast 10 Titanium, o Roxio Easy VHS to DVD e o Parallels Desktop 5 for Mac, entre outros.

· · ·

João Domingues, CEO da BoxwareMACMAGAZINE: A Boxware é uma empresa focada apenas na distribuição de softwares?
JOÃO E. C. DOMINGUES: Sim, nosso foco é software. Na verdade, a empresa toda nasceu focada em softwares e propõe-se a ser uma extensão das fabricantes. Fazemos importação de caixas de produtos para o varejo — como é o caso do FileMaker —, mas também realizamos produção local de caixas e gravação de mídias — como é o caso dos softwares da Roxio —, tudo isso com autorização das fabricantes e aquisição legal dos números de série dos aplicativos.

MM: Há algum tipo de incentivo especial para adaptação/tradução de softwares para o público brasileiro?
JOÃO: Sem dúvida alguma. A Roxio, por exemplo, já tinha cuidado da tradução dos softwares dela no exterior, mas a Boxware cuidou de fazer a adaptação das caixas dos produtos e adaptá-los para um formato conhecido pelo varejo nacional. Sempre que possível, incentivaremos a tradução de produtos para o público brasileiro.

MM: Quais os planos de distribuição de outros softwares em território nacional?
JOÃO: Além de Roxio, Parallels e FileMaker, já temos no nosso portfólio também um excelente simulador de voo que roda na plataforma Mac (na verdade, ele vende mais para Mac do que para PC), o X-Plane — da Graphism. Trata-se de um dos simuladores mais completos da atualidade. Já estamos negociando com a Parallels o lançamento da versão 6.0 do seu virtualizador no Brasil (a 5.0 está no mercado desde novembro do ano passado), mas o produto ainda está em desenvolvimento e não tem nenhuma previsão oficial de lançamento. Também somos parceiros da Trend Micro — fabricante de antivírus —, mas por enquanto distribuímos apenas as soluções deles para PCs. Temos uma lista enorme de parceiros potenciais para o futuro, mas por enquanto não temos nada para anunciar.

MM: Vocês pretendem trabalhar para realizar lançamentos simultâneos no Brasil, em relação ao exterior?
JOÃO: Sim, essa é a ideia, nosso maior desejo. Estamos trabalhando com a Parallels para viabilizar o lançamento simultâneo da versão 6.0 do seu virtualizador por aqui, e nos esforçaremos para fazer o mesmo com todas as nossas outras parceiras. Queremos fazer isso da melhor forma possível, sempre disponibilizando o nosso know-how local para ajudá-las.

MM: Como a Boxware pretende expandir seus centros de distribuição? Há opções online?
JOÃO: Estamos constantemente trabalhando na captação de novos parceiros, mas o mundo Mac, especialmente, é bem escasso deles. Nosso site já conta com alguns parceiros listados, mas certamente precisamos de mais. Esperamos atualizar esta página constantemente com novos parceiros. Já estamos trabalhando duro para divulgar nossos produtos, contando com o apoio de Apple Premium Resellers (APRs) nacionais e de algumas lojas online menores. Temos um foco especial em revendas Apple, ainda negociamos com o grupo B2W e estamos conversando inclusive com redes como a Fnac, que tem grande participação no mundo virtual.

MM: Que peso a Boxware pretende dar para a distribuição de softwares para o mundo Mac?
JOÃO: Nosso plano é dar peso muito maior aos softwares para Mac, pois acreditamos demais nesse mercado. Acreditamos que podemos fazê-lo representar pelo menos 50% do nosso faturamento.

MM: A Boxware dispõe de alguma estratégia para combater a pirataria de softwares?
JOÃO: Temos uma enorme preocupação quanto a isso, é claro. Acreditamos que o melhor para combater a pirataria é conscientizar o público, pois isso é uma questão de educação. Achamos, inclusive, que o público usuário de Macs é mais consiente do que a média geral e acompanhamos números que mostram melhorias no combate à pirataria. Ainda assim, contamos com medidas elaboradas pelas próprias fabricantes dos softwares para ao menos dificultar a pirataria de softwares através de checagem online de seriais e outros artifícios.

· · ·

O MacMagazine agradece à Boxware e especialmente ao João pelo tempo despendido nesta entrevista e deseja sorte nos negócios! 😉 Estaremos, é claro, sempre ligados em futuros projetos e lançamentos da distribuidora.

Posts relacionados

Comentários