Estará a App Store diante de uma crise?

Plataforma de apps para iPhone

Para Heiko Hubertz, da desenvolvedora de jogos online Bigpoint, sim. Num painel da Game Developers Conference Europe, o CEO ratificou o quanto a loja de aplicativos da Apple domina o mercado móvel (momento estranho: com apenas quatro modelos de celular e três PMPs compatíveis com ela), mas estaria à beira de um colapso. Ou melhor, o crack já ocorreu e ninguém percebeu!

Publicidade

Plataforma de apps para iPhoneA matemágica é simples: se os desenvolvedores de aplicativos já geraram US$1 bilhão em conjunto, se dividirmos isso pelos 250 mil apps, temos… US$4 mil para cada app. Não, isso não está certo: há muitos apps gratuitos! Hubertz nivela por baixo e supõe que apenas 100 mil apps sejam pagos, o que daria uma conta de US$10 mil para cada. Ergo, custos de desenvolvimento têm que ser bem baixos.

(Na verdade, segundo um relatório da Distimo publicado em julho, cerca de 70% dos apps na App Store são pagos, o que dá 175 mil aplicativos, que renderiam em média US$5,7 mil, cada.)

Publicidade

A conclusão apocalíptica é que o mercado da App Store já quebrou e hoje é impossível vender um app por US$1 e esperar algum retorno. Além disso, Hubertz completa dizendo que a grande questão para desenvolvedores de jogos sociais agora é pensar em como fazer para clientes que pagam centavos passarem a gastar dezenas de dólares. Essa linha de raciocínio parece sã, dado que a ngmoco:), por exemplo, desistiu de vender jogos e passou a adotar o modelo freemium em praticamente todos os seus apps.

Mas aí entra um fator que serve de curinga: publicidade. Até agora, a Apple repassou a desenvolvedores dinheiro ganho da venda de apps e de In-App Purchases, mas só recentemente, com a iAd, os ganhos em publicidade vêm passando pelos livros contábeis da Maçã. Quanto será que os ganhos de publicidade geraram? Será que isso não anula toda a conversa de “App Store quebrando”?

Mais: certamente vai demorar pra vermos alguma produção do naipe de um Final Fantasy XIII (que chega a passar vários anos em produção) sendo criado exclusivamente pra iOS, mas jogos simples e criativos não deverão faltar. Não terá sido essa, a intenção inicial da Apple? Jogos cinematográficos e profundos, permaneçam nas plataformas dedicadas, sendo diversão pro fim de semana; jogos divertidinhos e rápidos, venham para o iPhone, sendo diversão pra fila do banco ou sala de espera do dentista.

Publicidade

[via TUAW]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…