Apple poderá usar tecnologia da Liquidmetal também para reduzir tempo e custos de fabricação

Peça feita com tecnologia Liquidmetal

Depois de revelar que a Apple já usou as tecnologias da Liquidmetal em um de seus produtos, o Cult of Mac trouxe hoje mais detalhes sobre as técnicas que estão ao alcance de Jony Ive e companhia para a produção de gadgets insanely great.

Peça feita com tecnologia Liquidmetal
Componente fabricado para a indústria aeroespacial

Olhando para a pecinha acima, podemos imaginar que ela não tem nada de mais. Entretanto, para chegar a um formato com esse nível de complexidade usando métodos ordinários de fabricação, seria preciso passar por várias etapas de corte, trituração, perfuração, rosqueamento, retirada de rebarbas e polimento. Sem passo sete! Com uma máquina de injeção de moldes da Liquidmetal, não tem passo dois. Sim, é bom desse tanto. 😉

Por enquanto existe apenas um protótipo capaz de fabricar peças por esse processo sumário, mas a Apple deverá encomendar mais deles. Um operador conseguiria dar conta de dois equipamentos destes, que seriam capazes de produzir quatro ou cinco gadgets do tamanho de um iPad de cada vez. Entretanto, o processo de resfriamento da liga metálica deve ser bem controlado, ou o resultado final é um material quebradiço.

Quando tudo corre bem, por outro lado, o resultado é mágico: uma liga forte como o titânio, mas que consome menos material e é resistente a arranhões, corrosão e marcas de gordura, além de ter um acabamento preciso e aspecto refinado, podendo ganhar um aspecto de joia apenas com a adição de um pouco de metais nobres à mistura. Isso em apenas uma etapa de fabricação.

Supostamente Ive seria a pessoa a dar mais apoio ao emprego da nova tecnologia, o que não é difícil, dada a notória paixão do designer por processos de fabricação inusitados — quem não sabe da visita à fábrica de doces para refinar a cor dos primeiros iMacs? Além disso, a Apple teria passado já uns dois anos(!) produzindo protótipos de carcaças e molduras. Por sinal, até agora a Liquidmetal viveu basicamente de fazer protótipos gratuitamente para tentar vender seu peixe, algo que a fez endividar-se epicamente.

O negócio com a Maçã, portanto, não só veio numa hora de extrema necessidade, como reflete o quanto os produtos fabricados desta forma são promissores. Afinal de contas, ultimamente tem sido difícil o time de Jobs atirar num alvo e errar, então a Liquidmetal deve valer mesmo o investimento.

Posts relacionados

Comentários