CEO da Adobe afirma que impacto das mudanças na App Store foi “abafado”

Logo da Apple e ícone do Adobe Flash Player

Amanhã se completarão exatas duas semanas desde que a Apple anunciou mudanças drásticas nas suas App Store Review Guidelines, o que permitiu que a Adobe retomasse os trabalhos na sua ferramenta de conversão de apps desenvolvidos em Flash para iOS.

Logo da Apple e ícone do Adobe Flash Player

Ontem, numa sessão de comentários após a divulgação dos últimos resultados financeiros da Adobe, o CEO Shantanu Narayen discorreu sobre a mudança:

O que nós vimos foi que, no dia em que a Apple anunciou a remoção das restrições de licenças, um grande número de pessoas que tinha projetos criados com nossa ferramenta os re-enviaram para a Apple Store [sic] e foram aprovados. Eu acho que isso só continua refletindo a oportunidade que temos com nossas ferramentas, que servem para ajudar designers e desenvolvedores a criar seus aplicativos e conteúdos e readaptá-los a múltiplas mídias de saída diferentes. A curto prazo, eu diria que o impacto foi abafado.

Não dá pra entender direito o que Narayen quis dizer com isso, mas imagino que ele esperava que o mundo soltasse fogos de artifício ao saber dessa liberação do compilador de Flash. Ademais, a Adobe continua descontente por não poder desenvolver uma versão do Flash Player para iOS, que não tem nada a ver com as restrições no desenvolvimento de apps.

No seu terceiro trimestre fiscal, a Adobe anunciou um faturamento recorde de US$990,3 milhões — 42% a mais que no mesmo período de 2009.

[via Mobile Entertainment News]

Posts relacionados

Comentários