The New Yorker e Gourmet Live trazem cultura e culinária ao iPad em grande estilo

Ícone da New Yorker

Ícone da New YorkerDuas revistas da Condé Nest chegaram em grande estilo à iPad App Store: a New Yorker e a Gourmet Live, duas com histórias bem diferentes, mas tendo em comum a qualidade do conteúdo e a belíssima apresentação, que tira proveito do hardware da Apple.

A The New Yorker Magazine [gratuita; 1,8MB; requer o iOS 3.2 ou superior] é apresentada ao mundo de duas formas: com um editorial só de texto e com um curta burlesco estrelado pelo comediante Jason Schwartzman e dirigido por Roman Coppola. Curta o vídeo. 😉

Infelizmente o app enfrenta um problema grande: o preço das edições, que devem ser compradas via In-App Purchase por US$5 cada. Tudo bem, é conteúdo de altíssimo nível, mas tanto é impraticável para um assinante quanto faz um comprador casual pensar duas vezes antes de investir numa edição digital (que não custa nada para imprimir ou entregar, e não pode ser emprestada nem acessada fora do iPad).

New Yorker no iPadNew Yorker no iPad

Será que a loja para vendas de periódicos, da qual se vem falando em rumores [1, 2], vai ser capaz de solucionar isso ou seria mais fácil a New Yorker fazer como a People e abrir seu app para os assinantes da revista tradicional?

. . .

Ícone da Gourmet LiveEnquanto isso, a Gourmet Live seguiu a luz quando deixou de ser feita de papel, tanto que seus (re)criadores a definem agora como “uma revista para múltiplos jogadores em massa” (o trocadilho só funciona em português, infelizmente).

O app [gratuito; 1,9MB; requer o iOS 3.2 ou superior] está fazendo um tremendo sucesso na loja da Apple, tendo galgado a primeira posição entre apps gratuitos da seção Lifestyle.

Mas interessante é o sistema desenvolvido para a revista: cada história que você lê até o final destrava uma recompensa, que é mais conteúdo relacionado àquele tópico. Tudo fica organizado numa tela à parte, para ser revisitado quando você quiser.

Gourmet Live no iPadGourmet Live no iPad

Como tudo funciona num jogo e é acessado da nuvem, você não precisa pagar nada… ainda: por enquanto o modelo de monetização não inclui In-App Purchases nem anúncios, mas no futuro a Condé Nast pode decidir alterar isso com conteúdo pago exclusivo e/ou publicidade. iAd, alguém?

Pelo visto, este é um futuro bem palatável para revistas eletrônicas: eu torço para que o sistema da Gourmet Live se torne mais comum, ou que revistas como a New Yorker encontrem uma forma de vender suas edições eletrônicas por um valor compatível com a mídia. Afinal de contas, já pagamos pelo iPad: precisamos pagar o extra do papel e do transporte?

[via Daring Fireball: 1, 2]

Posts relacionados

Comentários