Pixel-Show 2010 em São Paulo: saiba como foi o primeiro dia do evento

Logo do Pixel-Show

Logo do Pixel-ShowOntem a região da Bela Vista (pertinho da Av. Paulista) foi invadida pelos criativos. Sozinhos ou em grupos, eles estavam indo para a FECOMERCIO assistir à “Conferência de Design Pixel-Show 2010”, que começou no sábado e continua hoje.

O evento, considerado o maior do país na área de Design, Ilustração, Games, Concept Art, Animação, Cinema, Intervenção Urbana, Fotografia, nova mídias, charges, cartoons, artes plásticas e (ufa!) tecnologia, acontece pela sexta vez em São Paulo. E, pelo terceiro ano consecutivo, o MacMagazine esteve lá representado por esta que vos conta tudinho. 🙂

Comemorando 10 anos, a Zupi (organizadora do evento) mais uma vez não desagradou: trouxe cinco palestras internacionais e seis nacionais para o público pagante. Com entrada gratuita e em paralelo às palestras, acontece a Feira de Arte com workshops, exposições e sessões de live-painting. Mostrando o crescimento do evento, até intervenção urbana gigante teve! O artista Florentijn Hofman, da Holanda, trouxe o “Macaco Gordo” para o Parque Mário Covas, na região da Paulista.

Representando o MM, estive por lá ontem e trago um apanhado das apresentações. Vamos nessa? 😉

A Zupi iniciou o evento comemorando seus 10 anos com um curta bem legal sobre a importância da empresa no cenário criativo. O Pixel-Show 2010 teve inicio com a palestra do fotógrafo brasileiro Marcio Scavone, reconhecido internacionalmente pelo seu trabalho. Ele mostrou retratos de artistas, atletas e políticos e também trouxe exemplos de direção de arte em comerciais, de trabalhos editoriais (Trip, Caras, Vogue e revistas internacionais).

Além dos retratos, Scavone tem trabalhado na direção de arte de vários comerciais muito bons e contou como começou sua paixão pela fotografia (coisa de pai para filho). Foi muito legal ele relatar o que foi a crise que atingiu sua geração com a entrada da foto digital e que conseguiu sair dela quando percebeu que tudo é imagem, não importa se é construída por pixels ou grãos de prata.

Scavone

Após um rápido intervalo, em que fomos salvos pelo café que a organização montou ao lado do auditório, veio a palestra do simpático Cisma. Diretor de filmes e animação, sua apresentação “bagunçada” — como ele próprio falava, mas nem um pouco menos legal — procurou mostrar a evolução de seu trabalho e trazer o cenário do inicio dos estudos de motion graphics no Brasil. Contou sobre sua experiência de ter iniciado numa produtora que também estava começando na época: teve a oportunidade de fazer o que queria e experimentar de tudo. Exemplificou com algumas aberturas feitas para a MTV Brasil, animações para a Diesel (quando trabalhou na Itália) e outras de quando passou por Barcelona.

Depois do almoço, tivemos a palestra maravilhosa de Luli Radfahrer, que já instigava o auditório com a bela frase que iniciava a apresentação: “Não tem PlayStation no paraíso”. Mesmo sob o efeito de Aspirinas, Neosaldinas e um energético, Luli mais uma vez só confirmou seu status de referência na área de internet e tecnologia no país. Procurou situar a importância do designer nesse mundinho histérico, consumista e tão integrado em que estamos vivendo hoje. Apresentou a necessidade de uma nova forma de pensar a tecnologia que nos cerca. Além de saber que a pergunta não é “Isto é bom ou ruim” mas sim “O que acontece aqui?” A apresentação durou uma hora, mas nem notei!

Primeira atração internacional do Pixel-Show, Dan Goldman, conhecido pelo seu trabalho com quadrinhos, sejam de conteúdo político ou ficção, procurou mostrar como acontece o processo de criação e desenvolvimento de seus trabalhos. Afirmou que mais importante que a abordagem é a história, e também apresentou um passo-a-passo de seu trabalho que é feito direto na tablet — nada de ficar escaneando papel, não! Um ponto que notei foi a importância dele ressaltar o uso de software livres para exercer seu trabalho. Só abre exceção para os da Adobe — e quem não abre?

PatinhoFlorentijnHofman

Após Dan, a tradução simultânea continuou com a apresentação do holandês Florentijn Hofman, artista plástico com várias esculturas em tamanho gigante espalhadas em cidades e campos. Ele falou da intervenção urbana que fez em São Paulo — o “Macaco Gordo” em exposição no Parque Mário Covas, na Av. Paulista —, em que mostrou o inicio do projeto e como nasceu a ideia: observando a relação de seu filho menor com um macaquinho de pelúcia! O filho chorava à noite pra dormir com o bonequinho, mas durante o dia deixava-o largado pela casa — bem do jeito que está a pose da escultura no parque paulista. 🙂

Conhecer esse processo do artista plástico foi importante para reconhecer que a arte que ele executa não vem do nada, não vem somente do interesse em chocar pelo tamanho, mas existe sim um estudo de impacto, de uso e interação do público do espaço que as vai receber. Além disso, Hofman mostrou mais trabalhos que executou em Rotterdam e em outros lugares da Holanda.

O sábado foi encerrado com a palestra dos ilustradores canadenses Bobby Chiu & Kei Acedera. Responsáveis pela concepção dos personagens de “Alice no País das Maravilhas”, longa-metragem de Tim Burton, encantaram pela simpatia e boa vontade de ajudar quem estava começando. Eles iniciaram apresentando os personagens de “Alice” (maravilhosos) e, entre eles, alguns como tinham sido pensados no primeiro momento e como ficaram após a troca de ideias com a Disney e com o próprio diretor Tim Burton. Aliás, chamaram a atenção para este ponto: como é bom e importante saber conversar com quem desenha, já que a comunicação flui muito melhor.

Bobby, simpatia em pessoa, brincou com o público e ainda deu várias dicas de como melhorar, divulgar e lidar com os detalhes da profissão de ilustrador. Até questões de como saber cobrar pelo trabalho, uma parte em que sempre ficamos sem saber como agir! Enquanto isso, Acedera desenhava ao vivo pelo telão! Confesso que quando ela começou foi difícil voltar a focar no que o Bobby falava… o talento da moça é inquestionável! 😀

BobbyChiu

E, assim, acabou o primeiro dia do Pixel-Show 2010 em Sampa! Hoje tem mais cinco palestras. Pode voltar no MM amanhã, que nós contaremos mais uma vez tudo de lá.

Posts relacionados

Comentários