Mozilla libera Firefox 3.6.11 e divulga proposta de “App Store” para serviços online

Ícone do Firefox

Ícone do FirefoxA Mozilla liberou ontem a versão 3.6.11 do Firefox, mantendo o ciclo de manutenção do seu navegador web para Mac OS X, Windows e Linux. O update soluciona alguns problemas de estabilidade e nove falhas de segurança, sendo cinco delas consideradas críticas.

Publicidade

Usuários do Firefox receberão a atualização automaticamente em no máximo 48 horas, mas caso você tenha pressa, também é possível instalá-la manualmente indo até o menu Help » Check for updates no aplicativo. A nova versão também está disponível na página de downloads do seu site oficial.

Além de liberar uma nova versão do Firefox, a Mozilla também revelou ontem uma proposta inicial de como deverá funcionar uma loja de web apps para futuros navegadores, algo que ela havia prometido após o Google revelar a sua Web Store. Enquanto a gigante de buscas já está cuidando dos detalhes finais de seu serviço para usuários do Chrome (e aceitando a primeira fornalha de projetos vindos de desenvolvedores), a Mozilla colocou seu projeto no ar como um conceito, esperando o feedback da sua comunidade de desenvolvedores.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=iBFVrmyald4[/youtube]

Publicidade

Tanto a Chrome Web Store quanto este novo projeto da Mozilla compartilham muitos conceitos similares (ou até idênticos), mas o que motivou o surgimento de um segundo projeto de “App Store” para a internet é o fato de o Google estar pensando de uma forma bastante focada no Chrome. Até o momento, não se sabe como a Web Store da gigante de buscas irá direcionar usuários de outros navegadores para os serviços online que estarão disponíveis nela — o Google diz que isso será possível, mas não há detalhes concretos.

O plano da Mozilla é estruturar aplicativos instaláveis em web browsers ao redor das linguagens fundamentais da internet — HTML, CSS e JavaScript — sem o uso de formatos obscuros de desenvolvimento ou interfaces de programação específicas para um dado navegador, seguindo o que acontece com extensões nos dias atuais. Ademais, ele também propõe um meio para web apps serem integrados ao ambiente desktop de qualquer usuário, podendo ser a barra de tarefas e o menu iniciar do Windows (seguindo o que foi implementado pela Microsoft no novo Internet Explorer 9 Beta) ou o Dock e o diretório de aplicativos do Mac OS X, por exemplo.

Publicidade

Mais detalhes sobre o modelo de loja de web apps da Mozilla podem ser encontrados em seu site. Pessoalmente, eu jamais imaginei que veria serviços online sendo tratados ou até monetizados como software (nem que web browsers se comportariam como sistemas operacionais dentro de sistemas operacionais), mas o plano da Mozilla aparenta ser bem sólido e tem potencial. Porém, é bom que ela se prepare para enfrentar críticas do Google e dos seus desenvolvedores afiliados, já que a Chrome Web Store está prestes a abrir suas portas.

[via TechCrunch]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…