Patenteie para travar: jogo multiplayer com realidade aumentada, proteção contra engenharia reversa e mais

Patente de multiplayer com realidade aumentada

No final desta semana várias patentes interessantes da Apple foram publicadas, mas uma que merece destaque especial é a de um sistema de jogo que usa realidade aumentada para proporcionar interação entre os jogadores.

Publicidade

Patente de multiplayer com realidade aumentada

A tecnologia descrita usa o sistema de coordenadas NED (North East Down), empregado na aviação, para determinar a posição dos jogadores no campo de jogo (o mundo). Acoplando essas informações ao que é visto pela câmera do iPhone permitiria que um jogador marcasse pontos disparando lasers (virtuais ou de acessórios acoplados ao iPhone) contra competidores, que poderiam se proteger de ataques usando barreiras virtuais. Comunicação via áudio seria usada para integrantes de um mesmo time coordenarem suas ações. Parece uma forma bem divertida de jogar com seus amigos e ser surpreendido quando um deles pwnar você durante um passeio no shopping. 😉

Continuando o tema de “interação social”, uma outra patente descreve um método para tornar trocas de informações mais seguras mediante o uso de códigos secretos, o que parece uma continuação da “patente Bump”, que comentamos em agosto.

Patente de troca de informações

Com esta tecnologia, caso alguém queira compartilhar uma galeria de imagens ou adicionar um amigo que acabou de conhecer, não seria necessário nenhum procedimento mais complicado que colocar os iPhones de ambos em contato. Com isto, os aparelhos autenticariam uma conexão entre si usando um segredo e trocariam as informações necessárias sem precisar de mais ações dos usuários.

Enquanto essa patente pode ser bem interessante para todos, uma outra é bem restrita: ela trata de sistema de proteção para recarga de baterias de lítio em temperaturas perigosamente baixas. Sim, baixas: coisa de 5ºC ou menos. Alguém no Brasil encara uma dessas com regularidade? Só nas serras da região Sul, talvez? 😛

Patente de recarga de baterias frias

Bem, nos Estados Unidos (ou na Antártica) isso pode ser um grande problema: recarregar uma bateria fria demais pode causar danos irreversíveis, de forma que circuitos integrados fazem o processo ser mais lento para proteger a integridade do hardware. A patente da Apple, essencialmente, descreve apenas uma forma de o controlador incentivar a máquina que está sendo recarregada a trabalhar para produzir calor.

Publicidade

Simples e óbvio, mas ainda não patenteado. Bem, agora está.

Por fim, uma patente que pode acabar com a festa de hackers e concorrentes: um método para evitar engenharia reversa. A tecnologia descrita neste documento faz uso de um pré-processador que ofusca o código-fonte de um software antes de enviá-lo para compiladores.

Patente de prevenção contra engenharia reversa

Duas vantagens deste método de ofuscação seriam a viabilidade de uso de compiladores comuns e a flexibilidade na escolha do pré-processador, que pode ser substituído de acordo com a necessidade ou até ser constituído por vários componentes que executam operações de ofuscação em série.

[via Patently Apple: 1, 2, 3, 4]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…