Veremos um iTunes na nuvem sendo anunciado amanhã?

iTunes na nuvem

Não conte com isso. Pelo menos essa é a resposta dada por Peter Kafka, do AllThingsD. A lógica que ele usa para chegar a essa conclusão é bastante sensata: para oferecer um serviço de streaming de músicas, a Apple precisa de acordos com gravadoras, e nenhuma das fontes consultadas por Kafka sabem de qualquer coisa a respeito desse tipo de acordo. A não ser que queira arriscar um fiasco como a integração entre Ping e Facebook ou, pior ainda, uma ida aos tribunais, a Maçã deverá anunciar algo que mantenha músicas e vídeos bem longe das nuvens e perto dos discos rígidos.

iTunes na nuvem

Há, porém, uma pequena chance de a Maçã anunciar o serviço, mas só disponibilizar o conteúdo posteriormente — ou, o que é mais provável, esses contratos já estarem todos assinados e com firma reconhecida, guardados debaixo do travesseiro de uma onça esperando pelo momento certo para serem revelados.

Mas nós bem sabemos que jogar segundo as regras não é exatamente o forte da turma de Infinite Loop. Uma maneira de driblar facilmente a necessidade de acordos de distribuição seria oferecer algo no estilo “Salve seus arquivos nos nossos servidores e os acesse de onde bem entender! Até do Safari!” Os arquivos já foram comprados pelos usuários, ninguém processaria a Dropbox só porque alguém salvou uma pasta de músicas e as está ouvindo remotamente… ou processaria? Kafka acredita que sim, e dado o nível de sensatez de gravadoras e afins, eu não duvido de nada.

Em todo caso, o ano está acabando e o data center que a Apple construiu e prometeu colocar em atividade ainda em 2010 está juntando poeira. Como disseram no 9 to 5 Mac, “povo da Carolina do Norte, algumas lâmpadas nas suas casas vão enfraquecer por volta das 10 da manhã”. Só nos resta saber como esse data center vai ser usado.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…