Rapidinhas do MM: nomes na Mac App Store, Safari e HTML5, malwares para Mac e muito mais

Wallpapers para Mac

Periodicamente, reunimos nas Rapidinhas do MM tópicos sucintos com assuntos menos relevantes, que não achamos significantes o suficiente para virarem artigos completos por aqui, mas que podem interessar a muitos de vocês.

Eis a nossa seleção de hoje. 😉

Wallpapers para Mac

  • Coleção de wallpapers refinados para o seu Mac e/ou iGadget (dizzyup): são três kits, cada um com variações internas (com e sem o logo da Apple) e tamanhos variados para diferentes monitores, iPhones ou iPads. Aqui, adotei nesta semana a opção Wood com o logo prateado da Apple. Chique! 😉
  • Apps da Mac App Store poderão ter nomes idênticos aos da iOS (MacStories): inicialmente isso parecia que ia ser um problema, mas ele já foi resolvido pela Apple. Nomes de apps já existentes na iOS App Store poderão ser “reutilizados” na Mac App Store — o que é o caminho mais sensato, caso contrário mais de 300.000 deles já teriam sido “tomados” desde o início na nova loja. Para desenvolvedores com apps multiplataforma, então, a notícia deve ter sido bastante tranquilizante.
  • Mascarando o Safari para rodar vídeos em HTML5 no Mac OS X (Daring Fireball): a dica toda está explicada neste artigo, que consiste em alterar o user agent do browser para fazê-lo se identificar como o Mobile Safari do iPad. A ideia é não ser obrigado a continuar vendo vídeos em Flash pela web, caso você seja do grupo que odeia a plataforma multimídia da Adobe.
  • Facebook tem músicas de graças da iTunes Store (Facebook): esta é bem antiga, mas vale lembrar aqui. O canal “Free On iTunes”, do Facebook, continua de pé e superatualizado com dicas de faixas gratuitas para baixar na loja musical da Apple. Você encontrará sugestões das iTunes Stores dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.
  • Novo membro da diretoria da Apple esteve envolvido em caos tecnológico (Fortune Tech): à frente da Northrop Grumman, Ronald D. Sugar conseguiu um contrato avaliado em US$2,4 bilhões para equipar toda a infraestrutura de TI do Estado de Virgínia, nos EUA. Todavia, de 2005 pra cá já se perdeu a conta de quantas dores de cabeça a instalação causou. O pulo do gato, para a Apple: a infra é toda baseada em hardware HP e software Microsoft. Heh.
  • Wired vende em média 32.000 cópias do seu app para iPad por edição (WWD): parece que o número se estabilizou nesse patamar, o que não é nada mau — equivalendo a 39% do total de vendas da revista impressa. Por outro lado, a Condé Nast despende 20% mais recursos na produção da versão digital, já que ela traz conteúdos extras e interativos.
  • Blog com artigos sobre Core Data (Tech): para desenvolvedores/programadores que se interessam pelo assunto, começa agora uma nova série de artigos sobre Core Data (Objective C) — especialmente valiosa para quem trabalha na plataforma iOS. Tomara que seja mantida e atualizada constantemente.

Why Apple?

  • Firmas de advocacia recheadas de Macs (Official Clio Blog): boa parte da explicação disso pode ser vista no gráfico acima, referente a uma das respostas da pesquisa. A Clio entrevistou 835 advogados nos Estados Unidos — mais da metade deles já usa Macs e está supercontente com sua situação atual.
  • Sophos avalia quantidade de malwares disponíveis para Mac (Naked Security): a firma de segurança já conquistou 150 mil usuários após lançar um antivírus gratuito para Mac OS X. Com isso, obteve informações valiosas sobre a quantidade de malwares disponíveis na plataforma da Apple; só para você ter uma ideia, ela já analisou quase 50 mil relatos de malwares desde que o software foi lançado, no dia 2 de novembro.
  • Zen Bound 2 está agora disponível no Steam (TUAW): lançado no começo da semana passada, o famoso jogo de iOS chega agora ao Mac OS X e ao Windows. Os controles são bastante dependentes de trackpads multi-touch, afinal, o conceito original foi construído com base em touchscreens. Ele sai por US$5 na loja virtual da Valve.
  • App para iOS faz cálculo entre a contratação CLT e a PJ (App Store): o título é o CLTxPJ, da NeoCode Software. Ele é bastante focado no mercado empresarial, mas pode interessar a alguns de vocês — até porque é totalmente gratuito.

[colaboraram com dicas: Maurício Magalhães, Paulo Oliveira]

Posts relacionados

Comentários