China continua (perdendo) sua luta para impedir contrabando de iPads

Mula carregando iPads

Por mais irônico que soe, gadgets fabricados por mãos chinesas estão sendo contrabandeados de Hong Kong para a China continental. Recentemente foram presas 14 donas de casa que estavam servindo de “mulas” para criminosos, carregando nada menos que 88 iPads (possivelmente todos Wi-Fi+3G) e 340 telefones celulares (não foi dito se haveria iPhones entre eles), conta o WSJ.com. Cada mulher receberia o equivalente a R$50 pelo serviço.

Publicidade

Mula carregando iPads

A tática dos contrabandistas para evitar detecção é justamente usar pessoas sem antecedentes criminais para transportar os bens, que vão desde aparelhos eletrônicos até anéis de diamante e perfumes CHANEL.

Apesar de parecer incoerente esse contrabando de iPads num país onde eles custam menos de US$100 a mais que nos EUA, o motivo é muito simples: a Apple só vende modelos Wi-Fi no país. Para desencorajar a entrada dos gadgets, o governo chinês passou a cobrar um imposto de todos que importassem iPads, mesmo os destinados a uso pessoal. Curiosamente, não houve resposta ao questionar-se se essa taxação seria exclusividade do gadget da Apple ou estendida a outros eletrônicos.

[via 9 to 5 Mac]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…