Pesquisa indica que donos de iPad se sentem menos atraídos por seus jornais de papel

Pilha de jornais

Pilha de jornaisO Reynolds Journalism Institute (RJI), da Universidade de Missouri, divulgou os primeiros resultados de uma pesquisa de longa duração cuja primeira fase foi conduzida com 1.600 usuários de iPads ao longo de setembro, outubro e novembro. Os resultados foram positivos para jornalistas, mas nada bons para gráficas.

Tomemos alguns números como ponto de partida: 84,4% dos entrevistados usam o iPad principalmente para acompanhar notícias e fatos recentes e 78,6% passam pelo menos 30 minutos por dia consumindo notícias. Agora compare este último número com os percentuais dos que gastam esse mesmo tempo com jornais: 30,7% ficam pelo menos meia hora lendo jornais impressos dominicais, enquanto 18,8% fazem o mesmo com periódicos diários.

A pesquisa aponta ainda uma tendência estatisticamente relevante de que o consumo de notícias no iPad leve assinantes de jornais impressos a cancelarem suas assinaturas. Apesar dessa projeção negativa pro futuro, apenas 10,7% dos entrevistados já cortaram os periódicos tradicionais de suas vidas.

A experiência de ler num iPad, por sinal, foi bem cotada entre as pessoas que participaram da pesquisa: elas apontaram, em média, que a leitura na tablet é melhor que ou igual à qualidade de ler num impresso ou em um PC. Na hora de comparar com smartphones (inclusive o iPhone), a tela maior do iPad fez com que quase metade apontasse uma experiência de leitura muito superior. Não inesperadamente, a idade influenciou consideravelmente essas respostas: pessoas mais velhas tendem a considerar impressos melhores que o iPad, e este bem melhor que smartphones.

Quanto ao perfil dos entrevistados, eles eram na grande maioria (80,2%) homens com elevada renda (55,6% ganham mais de US$100 mil por ano), educação superior (76,3%) e uma forte tendência a serem early-adopters (quase metade deles adquiriu o iPad em abril ou maio deste ano).

[via Fortune Tech]

Posts relacionados

Comentários