Microsoft se opõe ao registro de “App Store” como marca da Apple

Logo da App Store

Logo da App StorePouco depois da abertura de sua loja de aplicativos para iPhone, em 2008, a Apple procurou registrar o nome App Store como marca própria, uma medida que poderia prevenir o uso desse nome em outras plataformas. Nesta semana, porém, a Microsoft resolveu dar entrada numa contestação a esse registro, alegando que o termo “app store” é genérico demais, dado que é constituído por duas palavras comuns já sedimentadas no vocabulário geral.

Uma das evidências apresentadas pela gigante de Redmond, a meu ver, foi bem esperta: uma fala de Steve Jobs se referindo a outras lojas de aplicativos móveis como “app stores”. O CEO da Apple disse, durante a última conferência de resultados da companhia, “Então haverá pelo menos quatro lojas de apps [app stores] para Android”.

Daí, a Microsoft alega que “‘app store’ é um nome genérico que a Apple não deve ser autorizada a usurpar para seu uso exclusivo. Competidores devem ser livres para usar ‘app store’ para identificar suas próprias lojas e os serviços oferecidos em conjunto com essas lojas.”

Eu dou total apoio a esse protesto: a Apple praticamente colocou a palavra “app” no dicionário, mas isso não dá a ela direito exclusivo sobre seu uso. Assim como temos a “Mac App Store”, a marca registrada mais adequada talvez seja “iOS App Store” (ou derivações como “iPad App Store”). Registrar “App Store” seria quase como fazer o mesmo com “Retail/Online Store” — ou seja, ridículo. Por outro lado, a Microsoft é meio suja pra falar de registro de palavras genéricas, já que ela tem “Windows” (janela), “Office” (escritório) e “Excel” (sobressair) sob seu domínio.

[via PCWorld]

Posts relacionados

Comentários