Dica de leitura: Ken Segall desmistifica a suposta “segurança via market share” do Mac OS X

Departamento de segurança do Mac

O argumento segue uma certa lógica: há tão poucos Macs no mundo que nenhum hacker teria interesse em criar malware para afetá-los. Ergo, o Mac OS X é seguro por ter pouco market share. Pena que essa lógica falha epicamente quando percebemos que há dezenas de milhões de usuários de Mac OS X prontos para serem explorados e que, até hoje, nenhum vírus de alta periculosidade deu as caras — nem mesmo quando a Apple chamou os criadores deles para a briga.

É essa incoerência que Ken Segall (o homem que nos livrou do MacMan) aponta em um excelente texto, do qual tiramos o trecho a seguir:

Se você fosse um hacker buscando glória hoje, o Mac seria um alvo supertentador. Ser a primeira pessoa a espalhar caos no mundo Mac significaria idolatria instantânea no Hall da Fama dos Hackers. É terrivelmente infantil sugerir que hackers não têm motivação para atacar Macs. Na verdade, por que você criaria malware para PCs, onde há vírus a granel, quando você pode ter fama e a glória ao colocar todos esses usuários de Mac arrogantes de joelhos? Diabos, eu mesmo fico tentado a ir atrás disso.

Isso não significa que Macs são invencíveis (ninguém é), mas dizer que eles são seguros apenas porque os hackers não os têm em suas miras é, essencialmente, um mito. E um bem ruinzinho, diga-se.

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários