Pressão da Apple sobre assinaturas gera insatisfação entre desenvolvedores

As regras impostas pela Apple para a oferta de serviços por assinatura na App Store já desagradaram bastante gente, mesmo fora do mercado editorial. A Rhapsody, que oferece um app de streaming de músicas para iOS, afirma que poderá ser forçada a sair da loja devido à cobrança de 30% sobre as compras de usuários, o que é considerado “abusivo” pela empresa.

Embora não seja do ramo de jornais e revistas, a Rhapsody trabalha com assinaturas para oferecer seus serviços aos usuários e, por administrar uma interface web para cadastros, ela só precisa deixar 2,5% do que arrecada com as administradoras de cartões de crédito. A Apple, por outro lado, quer ficar com 30%, o que justifica a insatisfação de empresas com serviços similares na App Store, que agora possuem um prazo limite para se adequar às novas regras.

Elas prometem responder legalmente à iniciativa da Apple, mas há de se questionar até onde uma discussão dessas pode chegar. Especialistas contatados pelo Wall Street Journal acreditam que a Apple está tomando uma postura anticompetitiva, mas é difícil prová-la na prática já que a maioria dos usuários de smartphones não vive amarrada às restrições impostas pelo iOS e pela App Store.

Posts relacionados

Comentários