Vão ao ar os primeiros reviews do iPad 2

iPads 2 brancos e Smart Cover

Ontem à noite, antevéspera da chegada do iPad 2 às lojas dos Estados Unidos, começaram a ir ao ar os reviews de grandes veículos que receberam unidades prévias da Apple. E vale notar que não foram poucos: a Maçã está disposta a fazer com que a chegada da segunda geração da sua tablet seja conhecida por todo o mundo. Abaixo trazemos os pontos principais abordados por algumas dessas primeiras resenhas:

Publicidade

Tocando o iPad 2

David Pogue, The New York Times

  • O colunista reconhece que o iPad, seja o original ou sua segunda geração, não tem um grande apelo racional; por outro lado, basta brincar com ele por alguns momentos para ser arrebatado.
  • Apesar de a diminuição da espessura, peso e performance não terem sido exatamente revolucionárias, o fato de ser uma tablet um terço mais fina faz toda a diferença no uso.
  • Pogue separa uma porção do review para elogiar as Smart Covers, descrevendo-as como “um símbolo perfeito da inclinação [da Apple] para truques de mágica high-tech”.
  • Por outro lado, ele declara que elas servem muito mais como suporte, material de limpeza e acessório de moda do que como proteção para a tela da tablet.
  • Apesar da concorrência cerrada, o iPad continuará dominando o mercado, por ser o melhor nos principais aspectos: espessura, peso, integração, beleza e apps — ah, e o preço, que pela primeira vez vai fazer seu coração e seu cérebro concordarem na aquisição de um gadget da Apple.

iPad Smart Cover vermelha - (PRODUCT) RED

Publicidade

Walt Mossberg, Wall Street Journal

  • Ao contrário da sua primeira geração, o novo iPad não é revolucionário — ele é, sim, evolucionário, e de uma forma muito agradável e positiva, com um ótimo equilíbrio de tamanho, funcionalidade e preço.
  • Muito mais fina que o primeiro iPad ou que Androids concorrentes, a nova tablet da Maçã é mais agradável de segurar e, apesar de não ser dramaticamente mais rápida, teve ganhos de performance notáveis, além de nunca ter travado durante os testes.
  • As câmeras, porém, foram consideradas medíocres na hora de tirar fotos e apenas aceitáveis na produção de vídeo em alta definição ou para vídeo-chamadas.
  • Apesar da alegação da Apple de que a autonomia da bateria é a mesma, o iPad 2 conseguiu alcançar 10h09 no teste pesado que Mossberg executa (loop de vídeo com tela a 75% de brilho, Wi-Fi e 3G ligados), enquanto a geração passada chegara a 11h28; em condições normais de uso, porém, o gadget pôde resistir por até dois dias entre cargas.
  • A falta de suporte a Flash e a incompatibilidade com redes de telefonia 4G foram notadas como pontos negativos (apesar de o XOOM ainda não ter nenhum dos dois recursos).
  • No fim das contas, esta é a melhor tablet de todas para o consumidor comum.

iPad 2 com 3G

John Gruber, Daring Fireball

  • O iPad 2 segue a tradição iterativa da Apple, de criar algo e melhorá-lo pouco a pouco, de forma que, se você não gostou do primeiro, dificilmente vai apreciar o segundo; vale notar, porém, que a nova tablet não parece direcionada a quem já comprou um iPad 1 (ele há de servir por pelo menos mais um ano), mas sim para quem ainda não tem um gadget desse tipo.
  • A espessura reduzida facilita o ato de segurar o gadget, enquanto a borda preta ajuda o usuário a concentrar-se na tela, que continua idêntica à da primeira geração, para todos os efeitos.
  • Graças ao chip A5 e ao dobro de RAM (confirmando os 512MB), o iPad 2 é o iGadget mais rápido que Gruber já usou, opinião ratificada por Guy English, desenvolvedor que criou um app para testar performance gráfica.
  • As Smart Covers são mais elegantes, eficientes e práticas que a case da primeira geração, podendo vir a ser o principal motivo para muitos donos da antiga tablet a mudarem para a nova geração.
  • Ao usar o iMovie, fica evidente que o sistema de transferência de arquivos no iOS ainda é precário: gravar um vídeo decente num iPhone 4 e precisar de um Camera Connection Kit para transferi-lo não parece a forma certa de fazer isso.
  • “Assim como o iPhone 4 no ano passado, [o iPad 2] parece tecnologia de um futuro próximo.”

Smart Covers para o iPad 2

Joshua Topolsky, Engadget

  • O primeiro iPad já estava à frente da competição tanto em hardware (ainda que não necessariamente em números crus) quanto em software, algo que continua sendo verdade.
  • O design do gadget elevou o nível da indústria e sua borda afinada o tornou uma glória de segurar, mas sem abrir mão da sensação de robustez e permanência que a qualidade de construção lhe confere.
  • A qualidade da tela é razoável, mas um pouco mais de pixels não seria demais (principalmente para ler livros); o alto-falante avantajado é mais claro, porém menos potente que o original (apps musicais requerem o uso de bons fones de ouvido), e o novo chip A5 mostrou-se deveras impressionante.
  • A bateria passou com louvor nos testes (10h26 de um vídeo em loop, com Wi-Fi ligado e iluminação a 65%), batendo o XOOM em mais de duas horas.
  • As câmeras, especialmente a traseira, foram consideradas de segunda categoria, mas pelo menos elas estão lá e o Photo Booth, por exemplo, pode fazer algumas pessoas baterem o martelo na hora de comprar uma tablet, de tão divertido que é o app.
  • O GarageBand não parece uma adaptação do aplicativo da iLife, mas sim algo completamente novo, com destaque para os Smart Instruments.
  • “O iPad 2 não é apenas a melhor tablet do mercado, mas parece ser também a única.”

Photo Booth no iPad 2

Publicidade

Jason Snell, Macworld

  • É meio louco que, de 6 variantes no ano passado, o iPad 2 hoje tenha 18 modelos diferentes (faça as contas: 2 cores, 3 capacidades, 3 opções de conexão sem fio).
  • A Smart Cover causou uma impressão tão boa que ganhou um review só dela, com direito a vídeo demonstrativo e tudo!

  • O adaptador HDMI foi uma grande adição, tanto para entretenimento (permitindo o envio de vídeo de alta definição para qualquer TV moderna) quanto para a educação (com o uso do espelhamento, por enquanto exclusivo do iPad 2), sempre com imagens perfeitas e cristalinas.
  • “Pros concorrentes da Apple no mercado, o iPad 2 é um balde d’água na cara. […] Para todos os demais, o iPad 2 é um triunfo, um iPad ainda mais iPad que o original.”

Edward Baig, USA Today

iPad 2

  • A Apple conseguiu melhorar o que já era um gadget esplêndido.
  • As limitações de hardware mais comentadas (mesma resolução na tela, mesmo armazenamento, falta de 4G, entrada para cartões SD e alto-falante mono) são consideradas “picuinhas”.
  • “O iPad 2 pode não trazer tudo o que você deseja em uma tablet. Quando o assunto é o sempre avante estado da arte, contudo, o iPad 2 não tem rivais.”

MG Siegler, TechCrunch

  • Em janeiro de 2010, segurar o iPad 1 era como ter o futuro nas mãos; nem bem um ano depois, a segunda geração da tablet fez com que segurar o iPad 1 virasse algo como ter o passado nas mãos.
  • As Smart Covers parecem ser mais uma jogada de gênio da Apple, para lucrar mais ainda com o iPad 2 — sem falar que certamente vão conquistar muitos clientes, expostas em Apple Stores.
  • As principais desvantagens da tablet da Apple continuam as mesmas do ano passado: ela ainda poderia ser mais leve, a tela é reflexiva demais, a sincronização poderia dispensar fios e o sistema de notificações (sempre ele) poderia ser melhor.
  • “Você deveria comprar um? Talvez — depende de vários fatores. Você vai querer comprar um? Vai. Use essa informação com sabedoria.”

Publicidade

Peter Ha, The Daily

  • Apesar de ter chegado sem muita surpresa, o iPad 2 é um pouco revolução e um pouco evolução, e a perda de peso e dimensões faz uma diferença enorme quando não se tem apoio.
  • Apesar de ser maior e soar mais potente, o alto-falante da nova tablet tem exatamente a mesma saída em decibéis que a geração passada, quando ambas estão sobre uma mesa.
  • “Outros fabricantes estão um ano atrás, e a Apple deu mais um golpe na indústria com o iPad 2.”

· · ·

Se há um ano o inexplorado território do mercado de tablets fez muitas pessoas duvidarem das chances de o iPad fazer sucesso, hoje são poucas as pessoas que conseguem resistir à tentação de investir em um desses gadgets. Seja de que marca for, atualmente é fácil perceber que tablets podem ser ferramentas muito úteis não apenas para consumir conteúdo de forma mais pessoal, como para ser mais produtivo a qualquer momento.

A Apple, contudo, conseguiu mais uma vez criar algo que é, ao mesmo tempo, uma ferramenta e um objeto de desejo: o iPad 2 parece ser o cúmulo dessa combinação entre o útil e o agradável — pelo menos até o iPad 3 ser anunciado.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…