O iPad 2 é mais poderoso, já sabemos, mas será que dá pra perceber isso no dia-a-dia?

Processador dual-core Apple A5

A resposta para essa pergunta é “Sim, dá pra sentir daqui do Brasil!”

O TiPB fez uma rápida comparação das duas gerações do iPad executando uma das tarefas mais essenciais e cotidianas para usuários de tablets: navegando no Mobile Safari. Com o Nitro Engine presente no iOS 4.3, a performance de ambos os gadgets para carregar páginas não ficou tão distinta. Por outro lado, por ter o dobro de RAM, a nova tablet consegue verdadeiras proezas na hora de manter abas do navegador em cache.

Veja só, que incrível:

Enquanto o primeiro iPad só consegue manter umas poucas abas salvas, tendo que recarregar várias outras quando selecionadas, o iPad 2 simplesmente não precisa recarregar nenhuma das nove abas abertas. Isso por si só já é impressionante, mas a coisa fica irreal ao percebermos que o bom e velho tabuleiro que aparece enquanto a tablet renderiza partes de uma página nem dá as caras no novo gadget.

E, para coroar essa comparação com uma performance gráfica invejável, o AnandTech pôs frente a frente várias imagens de Infinity Blade rodando nas duas gerações do gadget. Separamos apenas uma, que já mostra o quando os efeitos de iluminação ficaram mais precisos na versão do game adaptada para o chip A5:

Infinity Blade no iPad 1Infinity Blade no iPad 2

Você pode clicar nas imagens acima para vê-las ampliadas, mas mesmo nas miniaturas já dá pra perceber o quanto o brilho na armadura do monstro está substancialmente melhor. Vendo os detalhes, é possível notar que as texturas estão com maior resolução e muitas sombras foram ressaltadas (por exemplo, nas luminárias e na estátua).

Impressionante, né?

Posts relacionados

Comentários