Foxconn oficializa investimento multibilionário no Brasil; confira mais detalhes sobre a produção local de iPads

Fábrica da Foxconn

Ontem pela manhã, conforme noticiado pelo MacMagazine, a Reuters divulgou que a Foxconn iria investir US$12 bilhões no Brasil — informação esta confirmada por um porta-voz do Itamaraty. Posteriormente, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, declarou que até novembro iPads começarão a ser produzidos em território nacional.

Hoje, em um comunicado oficial emitido pela sede da Hon Hai Precision Industry, em Taiwan, o investimento de quase R$20 bilhões foi confirmado pela companhia, a qual comentou que o Brasil tem “tremendo potencial de desenvolvimento econômico” e está “estrategicamente posicionado para atender às necessidades dos mercados em crescimento de toda América Latina”. Cerca de 100 mil novos empregos deverão ser criados por aqui, segundo relatos, dentre eles 20 mil cargos de engenharia.

Fábrica da Foxconn

Embora a Foxconn não tenha detalhado seus planos exatos, a declaração do próprio Mercadante deixa claro que a ideia inicial é usar instalações já existentes — provavelmente em Jundiaí (SP) — para iniciar uma produção local de iPads. Mais tarde, fala-se numa expansão para outras linhas de produtos, incluindo iPhones e até Macs.

Atualmente toda a fabricação de iProducts é concentrada na China, o que financeiramente é muito positivo para a Apple, mas por outro lado acarreta certas limitações no ritmo de produção e no despacho de lotes de produtos para o mundo todo. O novo projeto anunciado nesta semana visa abastecer em primeiro lugar o mercado brasileiro, mas deverá aos poucos fazer da montadora local um polo de distribuição para toda a América Latina — incluindo o México, mercado de grande importância para a Maçã.

Para o consumidor final, evidentemente, o aspecto mais atraente dessa história toda é uma possível queda no preço dos produtos da Apple — a começar pelos iPads, que hoje custam entre R$1.700 e R$2.400 (e isso porque estamos falando do modelo da geração passada, que já teve uma considerável redução de preços no Brasil).

iPads no Brasil

Tudo vai depender de possibilidades como a inclusão de tablets no Processo Produtivo Básico (PPB) — o que acarretaria uma redução de preços de até 31% em comparação com produtos importados —, bem como redução de IPI e de ICMS. Outra coisa citada seria a inclusão delas na lei 11.196, originada pela MP do Bem, que isenta de PIS e Cofins a venda de computadores e modems até o fim de 2014. No geral, espera-se que o preço do iPad caia cerca de 30% no Brasil — ou seja, os modelos atuais custariam entre R$1.200 e R$1.700. Evidentemente, a conquista desses benefícios tributários seria para todas as tablets comercializadas no país, e não só para o iPad.

Vale lembrar ainda que, ao menos num primeiro momento, essa nova central da Foxconn será apenas uma montadora de peças importadas do exterior. Todavia, a gigante de eletrônicos já diz que também tem planos de instalar pequenas fábricas locais de componentes — o que deverá aumentar ainda mais as oportunidades de trabalho para brasileiros.

É, estou louco para pegar num produto da Apple e poder ler com orgulho: “Designed in California. Made in Brazil.” 😀

Posts relacionados

Comentários