Depois do Warner Music Group, Apple já teria assinado acordo com a EMI para iTunes na nuvem

Steve Jobs na EMI
Steve Jobs em visita à EMI, em 2007; à esquerda, o até então CEO Eric Nicoli

E pelo jeito as gravadoras poderão mesmo [1, 2] contar com a Apple: depois de ter supostamente firmado um acordo com o Warner Music Group, no mês passado, a firma de Cupertino já teria agora assinado mais um contrato importante — desta vez, com a EMI.

Steve Jobs na EMI
Steve Jobs em visita à EMI, em 2007; à esquerda, o até então CEO Eric Nicoli

A notícia acabou de ser divulgada pela CNET News, que cita fontes na indústria musical familiares com os planos dessas empresas. Segundo elas, falta pouco para as outras duas gigantes restantes — Sony Music Group e Universal Music Group — se juntarem ao bolo. Quando isso acontecer, a Apple estará preparada para revelar ao público o que será desse tão esperado iTunes na nuvem (ou iCloud).

Um dos benefícios desses acordos, para usuários, é que o serviço da Apple não precisará ser um mero disco virtual para armazenamento das músicas que todos já têm. Em vez disso, o sistema poderá identificar os itens da biblioteca da pessoa e instantaneamente disponibilizá-los na nuvem, a partir dos arquivos originais que a Apple terá à sua disposição através dos acervos de todas as gravadoras — os mesmos disponíveis para venda atualmente na iTunes Store.

Se tudo der certo, é bem provável que a novidade esteja em pauta na keynote de abertura da Worldwide Developers Conference (WWDC) 2011, no dia 6 de junho — a qual muito provavelmente será, mais uma vez, apresentada por Steve Jobs.

Posts relacionados

Comentários