Ooh-la-la! iPlayboy vai ao ar, com todas as edições da revista do coelhinho engravatado

Não entra nudez na App Store, boo-hoo. Em vez de ficar perdendo tempo com #mimimi, querendo dobrar a Apple às suas vontades e caprichos, muito melhor é trabalhar com o que se tem e fazer algo independente da aprovação de quem quer que seja. Like a Boss, se você entende o que quero dizer.

Pois bem, conforme prometido, livre de restrições e sem o menor pudor (ui!), foi ao ar ontem o iPlayboy, um site que traz pro iPad todas as edições passadas da revista masculina mais conhecida do mundo. Sem cortes, sem tarjas pretas ou pixelização. Tudo e todas desde 1953 até hoje.

Vale notar que a revista online está saindo por preços bem atraentes: há planos que vão desde três dias de acesso por US$4 até um ano inteiro de coelhinhas por menos de US$100.

E, caso você não se contente apenas com as celebridades e modelos lindíssimas em trajes sumários, não tema: o pacote inclui também todos os artigos e reportagens que *realmente* fizeram da Playboy o fenômeno cultural que ela é hoje.

Uma limitação óbvia por este ser um web app, e não um aplicativo nativo, é o fato de depender de conexão com a internet… mas não é como se este fosse ser o tipo de conteúdo para acessar no meio da rua, certo? Por outro lado, há uma grande vantagem deste tipo de estratégia para o produtor do conteúdo: nenhum centavo das assinaturas vai para a Maçã e nada precisa ser aprovado antes de ir ao ar. As editoras insatisfeitas com as políticas Designed in Cupertino bem que poderiam aprender com o pessoal do Hugh Hefner.

Por que as pessoas preferem reclamar continua sendo um mistério pra mim. Para felicidade geral da nação, há quem prefira contornar ou escalar as montanhas, em vez de ficar gritando pra elas se aplainarem. Quem disse que entretenimento adulto não tem vez no iOS? A web ainda existe, caso os desenvolvedores tenham esquecido… 😛

[via Cult of Mac]

Posts relacionados

Comentários