Nova lei poderá deixar tablets importadas mais baratas que as produzidas no Brasil

iPad e Kindle - Eddie Wong

Santa esperteza, Batman! Vamos fazer um teste psicotécnico. Olhe para os dois gadgets abaixo e me diga: qual deles serve prioritariamente para ler livros? TEMPO!

iPad e Kindle
Foto: Eddie Wong

Tempo esgotado! E aí, você conseguiu diferenciar? Um deles é um iPad, uma tablet que faz praticamente qualquer coisa que a imaginação humana permitir — menos rodar o Flash Player. O outro é o Amazon Kindle, que serve para ler livros e, com muito boa vontade, visitar um ou outro site, mas também para ler. Será difícil, marcar essa diferença?

Bem, o senador Acir Gurgacz acha que tudo serve pra ler e tudo merece a mesma imunidade tributária garantida a livros e materiais impressos. Segundo o G1, um projeto de lei em tramitação pode fazer o preço das tablets importadas cair 57% — a diminuição com a produção nacional seria de 31%.

Ora, isso é, ao mesmo tempo, uma maravilha e uma aberração! Maravilha porque, enfim, o iPad aqui no Brasil vai deixar de ser o mais caro do mundo. Uma aberração porque esse projeto de lei não passa de uma katchangada.

Eu adoro a ideia de comprar um iPad mais barato, mas fazer um malabarismo legal desses é um pouco demais. Se é pra isentar tablets, por que não iPods touch, iPhones e Macs? Afinal de contas, todos podem ser usados para a leitura! O aplicativo do Kindle está disponível pra todos! Ora, se é pra brincar de katchanga, vamos logo fazer uma mega katchanga real!

Enfim, se alguém quiser fazer o Kindle e os ebooks adquiridos por brasileiros terem a mesma imunidade garantida a livros e afins, eu dou total apoio. Fazer uma lei com ares de jeitinho brasileiro para abarcar o iPad à força, por outro lado, já é palhaçada.

Mas, se vai ficar mais barato… quem liga? :-/

[dica do Rodrigo Berbert]

Posts relacionados

Comentários