Find My iPhone: o relato de alguém que nunca achou que precisaria dele

Find My iPhone no Mac, iPhone e iPad

por Cesar Parzianello

Estamos muito acostumados a ler, principalmente aqui no MacMagazine [1, 2, 3 — pra linkar três recentes], relatos de pessoas do exterior ou até mesmo aqui do Brasil que tiveram seus iPhones ou iPads roubados e conseguiram recuperá-los somente porque tinham a função “Find My iPhone” habilitada no seu querido iGadget.

Find My iPhone no Mac, iPhone e iPad

Mas nunca pensamos que algo assim vá acontecer algum dia justamente com a gente. Pois ontem à noite, quando meu irmão chegou da faculdade, entrou com o carro em casa e abriu a porta, deparou-se com um revólver calibre 38 apontado para o seu peito.

Eu estava sentado na cozinha com meus pais, falando com uma amiga pelo Skype, quando os sujeitos entraram aqui dentro com o revólver na cabeça do meu irmão. Não tive nem tempo de falar alguma coisa para minha amiga pelo Skype ou alertá-la do que estava acontecendo, mas deixei meu MacBook ligado (com a chamada ainda em andamento) quando nos mandaram ir para o quarto de meus pais.

Eles nos revistaram, tiraram todo o dinheiro que tínhamos conosco e, enquanto um deles nos vigiava com o revólver, o outro revirou toda a casa à procura de coisas de valor. Meu iPad estava conectado à energia ao lado do meu iPhone 4, em seu dock, na sala. Eles sabiam o que o iPhone era, então, antes de colocá-lo no bolso, o bandido o desligou imediatamente. Como não sabiam o que era o iPad, um dos “elementos” o levantou, mostrando-o para nós e perguntou o que era. Por um momento eu pensei em dizer que “era a mesma coisa que o celular”, mas mudei de ideia antes de as palavras saírem e falei que era “um porta-retrato digital”. O cara resolveu acreditar em mim e o colocou na mochila, felizmente sem desligá-lo.

Os criminosos ficaram cerca de meia hora dentro de nossa casa, tendo-nos sob a mira do revólver durante todo o tempo. Minha mãe entrou em desespero e começou a passar mal, depois de meu irmão perguntar se poderia, ao menos, salvar um trabalho de faculdade em um pendrive, antes que eles levassem seu MacBook Pro. O sujeito prometeu que iria deixar o computador dele e que não iria levar nem o computador nem nosso carro.

Antes de nos trancar no quarto e sair, no entanto, ele disse que ia deixar o MacBook do meu irmão na sala para que não pudéssemos usá-lo para chamar a polícia, mas claro que acabou levando-o junto. Depois de nos trancarem, a próxima coisa que ouvimos foi o barulho de nosso carro (praticamente zero, comprado há três semanas), sendo arrebentado contra o portão.

Começamos a gritar por ajuda, pois não possuíamos nenhum meio de comunicação dentro do quarto. Por sorte, uma de nossas vizinhas nos ouviu.

Eles levaram meu MacBook, meu iPhone, meu iPad, o MacBook Pro do meu irmão, o iPhone do meu irmão, o computador do meu pai, meu Time Capsule, uma câmera digital, os celulares do meu pai e da minha mãe, uma filmadora, joias, dinheiro, uma TV de 42 polegadas e possivelmente mais coisas.

No momento em que nos soltaram do quarto, perguntei à minha vizinha se poderia usar o computador dela. Ela provavelmente achou que eu estava louco, mas, depois que expliquei, ela me deixou usá-lo. Abri minha conta do MobileMe e constatei que meu iPad ainda estava ligado e que sua localização estava disponível. Bloqueei-o com um código, para que não pudessem utilizá-lo, e liguei imediatamente para a polícia.

Felizmente, a polícia foi muito rápida e compreensiva. Após chegarem (cerca de 5 minutos após a minha ligação), um dos policiais foi comigo até a casa da vizinha, de onde passou a localização dos sujeitos para outros policiais. O carro foi encontrado rapidamente e, apesar de alguns amassados e riscos, estava inteiro. Não sei como mas eles conseguiram fugir com a TV de 42″ e, possivelmente, a esconderam em algum lugar. Eles se meteram no meio de um matagal, onde ficaram por cerca de uma hora, movendo-se por todos os lados, o que dificultou o trabalho da polícia.

Em algum momento, no entanto, os marginais pareceram se dar conta do que estava acontecendo e então abandonaram meu iPhone e meu iPad em uma mochila, junto do MacBook Pro do meu irmão, e fugiram para algum outro lugar. No final, recuperamos a maioria dos iGadgets (apenas meu MacBook não foi recuperado), o carro e meu Time Capsule, mas os infelizes ainda não foram presos.

Eu sempre soube que um dia o Find My iPhone salvaria a minha pele, só não pensei que esse dia chegaria tão cedo. O que tiro dessa história toda é que meu iPhone e meu iPad realmente são produtos mágicos, e que a polícia, apesar de tudo, ainda faz um serviço excelente e que nunca — nunca mesmo! — deve-se reagir em uma situação dessa, pois o mais importante de tudo é a nossa vida. O resto, você acaba recuperando.

Espero que isso possa, de alguma forma, contribuir para que todos que possuem algum iGadget saibam da importância de um bom plano de dados. 😉 Essa não foi uma experiência nada agradável e torço para que nunca aconteça com mais ninguém, mas espero que sirva de alguma coisa.

Sent from my Recovered iPad [ok, piadinha ruim — mas eu não aguentei]

Posts relacionados

Comentários