Jon Rubinstein teria levantado o moral interno da HP comparando o TouchPad com o Mac OS X

Jon Rubinstein no Dive Into Mobile - AllThingsD

O que fazer, quando seu produto chega ao mercado e ele é uma bomba mal recebido pelos primeiros reviewers? Se a primeira impressão é a que fica, como levantar o moral dos seus empregados, que lutaram tanto para lançar um gadget e o veem sendo “ripado” em resenhas a torto e a direito? Jon Rubinstein parece ter a resposta para essas perguntas, segundo uma história publicada hoje pelo PreCentral: basta lembrar que nem sempre as grandes caminhadas começaram com o pé direito.

Publicidade

Jon Rubinstein no Dive Into Mobile - AllThingsD

Epic boss is epic.

Vide o exemplo do Mac OS X, conforme Rubinstein teria destacado no trecho abaixo:

Publicidade

Foi nesse espírito que Richard Kerris, chefe mundial de relações com desenvolvedores do webOS, lembrou-me ontem dos primeiros reviews de um produto que foi apresentado há pouco mais de dez anos:

“…de forma geral, o software é lerdo”
“…não há app de qualidade para usar, então não deverá durar”
“…simplesmente não faz sentido…”

É difícil acreditar que essas sentenças descrevem o Mac OS X — uma plataforma que mudou cenário do Vale do Silício de formas que ninguém poderia imaginar.

As similaridades em nossas situações são óbvias, mas há também uma grande diferença. Assim como David Pogue, nossas audiências entendem que o webOS tem potencial para a grandeza. E, assim como eu, elas sabem que o trabalho duro e a paixão de vocês, e a força do comprometimento da HP com o webOS vão transformar esse potencial em algo real.

Se isso não levantar o moral da equipe responsável pelo TouchPad, não sei o que poderia: o Mac OS X veio ao mundo com três… não, cinco pés esquerdos! Redimensionar uma janela era um teste de paciência, na primeira versão. Hoje, apesar de os PCs com Windows dominarem o mercado em geral, se você procurar em empresas como o Google ou o Twitter, ou no segmento de máquinas de mais de US$1.000, a Apple tem um domínio quase inabalável.

Estará o webOS caminhando para uma rota similar? Não sei, mas depois de ver esta mensagem do Rubinstein (que pode ser ou não verdadeira, vale lembrar), eu posso até acreditar.

P.S.: “força do comprometimento da HP com o webOS”? Será que o Windows sentiu um calafrio, depois dessa? 😛

Publicidade

[via Daring Fireball]

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…