Polícia dos Estados Unidos vai usar iPhones com cases especiais para identificar suspeitos

MORIS

Uma case espacial para iPhones chamada MORIS (Mobile Offender Recognition and Information System), desenvolvida pela BI2, deverá começar a ser usada por 40 agências de segurança nos Estados Unidos a partir de setembro, para permitir a oficiais em campo realizar a identificação de suspeitos usando apps especiais de reconhecimento facial e leitura de íris e impressões digitais, segundo o Wall Street Journal. O custo da case mais um iPhone é de cerca de US$3.000 e o governo deverá adquirir 1.000 unidades — eu me pergunto se o aparelho sozinho não conseguiria fazer pelo menos 75% desse trabalho.

Com os apps desenvolvidos pela BI2, é possível tirar uma foto a poucos metros de distância e iniciar o processo de reconhecimento, cruzando informações da imagem com um banco de dados de ex-condenados — apesar de, no futuro, ser possível a adição de fotos de carteiras de motorista ao banco de informações (isso, claro, deverá gerar ainda muita controvérsia). Outras forma de identificar uma pessoa é com uma fotografia da íris, a alguns centímetro de distância. Por fim, uma pequena placa de metal pode ser usada para capturar uma impressão digital.

É meio estranho pensar que chegamos a uma época em que existe esse tipo de tecnologia: um aparelho que cabe no bolso pode capturar a imagem de uma pessoa e identificá-la em poucos segundos. Isso soa muito como coisa de ficção científica — mas, infelizmente, essa funcionalidade é muito mais popular em futuros distópicos. Tomara que esses iPhones com o MORIS não acabem sendo usados de forma errada pelos policiais que os receberem.

[via Electronista]

Posts relacionados

Comentários