Comprar um iPad com Wi-Fi+3G vale a pena?

iPad 2 com 3G

Todos nós já sabemos do sucesso do iPad, da enorme quantidade de unidades comercializadas, da grande expectativa antes do inicio das vendas, das filas, das comemorações e de como a concorrência sofre para tentar abocanhar o mercado que hoje é praticamente todo da Apple.

Há dois anos, nós nunca havíamos usado uma tablet em nosso dia-a-dia, e atualmente muitos já nos perguntamos como viveríamos sem elas. É, sem dúvida alguma, uma mudança bastante drástica na forma como nos conectamos com o mundo digital.

Mas este artigo não visa trazer para você, leitor, os pontos positivos e negativos do iPad — nós já os conhecemos. A ideia aqui é ver até que ponto vale a pena comprar iPads topo-de-linha, ou seja, aqueles que possuem conectividade 3G.

iPad 2 com 3G

No Brasil o iPad começa custando R$1.650, sendo este o preço do modelo mais simples, com 16GB e restrito a Wi-Fi. Com R$400 a mais você leva para casa o mesmo modelo, com a opção de 3G. Se convertemos a diferença cobrada nos Estados Unidos (US$130 = R$214), vamos pensar duas vezes antes de comprar a tablet por aqui, mas digamos que você ganhou aquele bônus da empresa e está com um dinheiro sobrando e decide comprar o modelo mais caro; prepare-se, então, para investir uma boa quantidade de dinheiro a mais, mensalmente, em sua nova tablet.

Se você comprou o modelo Wi-Fi+3G, obrigatoriamente terá que assinar um plano de dados com alguma das maravilhosas operadoras do nosso país. Fizemos uma vasta pesquisa entre as principais telecoms brasileiras para levantar o custo médio ideal para utilização do iPad, com uma boa velocidade de conexão e grande quantidade de transferência de dados. Concluímos, então, que o usuário irá gastar em média R$120 por mês.

Então, no primeiro ano de utilização do seu iPad 3G, você terá gastado R$2.100 na tablet e mais R$1.440 em planos de dados, totalizando R$3.540. O valor é bastante alto para os padrões brasileiros e este já é o primeiro ponto negativo de se escolher o iPad com Wi-Fi+3G: o custo.

Além disso, infelizmente, as redes 3G no país não possuem, em geral, qualidade satisfatória. Se você mora em grandes capitais como São Paulo ou Rio de Janeiro, pode até ter um serviço mais ou menos razoável, mas se você está no interior ou em estados distantes do eixo “Centro-Sul”, terá mais irritações do que prazeres com a sua conexão 3G.

Todavia, os dois pontos levantados até agora — preço e conexão — não são suficientes para convencer um Applemaníaco a não comprar um iPad com Wi-Fi+3G. O que mais pesará na sua decisão é justamente o fator que percebemos após a compra da tablet.

iPad 2 com Wi-Fi+3GQuando comprei o meu primeiro iPad, fiz questão de escolher um modelo com 3G, pois tinha certeza de que utilizaria a tablet em todos os lugares. No primeiro mês, percebi que havia feito um investimento desnecessário. Eu sempre utilizo o iPad em casa, no trabalho, na casa da minha noiva ou em algum restaurante/coffee-shop, e em todos estes lugares consigo acessar conexões Wi-Fi. O único lugar onde tentei utilizar o iPad com 3G foi no meio do trânsito de São Paulo, mas depois de tentativas frustradas de guiar e segurar o iPad ao mesmo tempo, acabei desistindo.

Acredito que boa parte dos donos de iPads utiliza o aparelho em locais similares aos que eu listei, e duvido muito que você tenha coragem de pegar a sua tablet em um ônibus ou no metrô para navegar na internet. Aí que chegamos à pergunta: onde eu usaria a conexão 3G do meu iPad?

Durante todo o ciclo de vida do meu primeiro iPad, tentei respondê-la a mim mesmo e simplesmente não consegui. Senti falta da conexão 3G na tablet apenas no Aeroporto Internacional de São Paulo, onde o Wi-Fi era pago, mas o valor que estava deixando de gastar mensalmente pesava mais na decisão.

Com a chegada do iPhone 4 junto do iOS 4 — e posteriormente o iPad 2 —, a própria Apple mostrou aos usuários que possuem esses produtos o quão desnecessária é a conexão 3G na tablet. Todos vocês já devem saber que no iOS 4 o iPhone 4 consegue criar uma rede Wi-Fi — um “Personal Hotspot” — e qualquer computador ou tablet compartilha a sua conexão 3G. Ou seja, você está em algum lugar sem Wi-Fi ou com Wi-Fi pago e deseja utilizar seu iPad? Basta conectá-lo ao seu iPhone.

Sei que agora muitos estão falando “Mas eu não tenho um iPhone 4!, por isso comprei um iPad 2 com Wi-Fi+3G!” Sinto lhe dizer, mas você cometeu uma burrada. Com o que você gasta anualmente no plano do seu iPad, você consegue comprar um iPhone 4 e a sua conta de celular seria igual. Ou seja, você terá dois aparelhos em vez de apenas um, poderá usufruir da rede 3G do seu iPhone em seu iPad e ainda poderá utilizar o FaceTime no iPad, mesmo na rede 3G! Que maravilha… 😉

Com as soluções oferecidas pela Apple e com o alto preço dos planos de dados no nosso país, vale mais a pena comprar um iPad 2 restrito a Wi-Fi e um iPhone 4 do que um iPad 2 com Wi-Fi+3G e qualquer outro smartphone/celular.

Com este pensamento comprei o meu iPad 2 (obviamente, restrito a Wi-Fi) com 64GB de capacidade e não me arrependo em nada. Utilizo-o quase que 100% das vezes em redes Wi-Fi e nas poucas vezes que “precisei” conectá-lo a um 3G (sempre no aeroporto), usei a banda do meu iPhone.

Você, que já está preparado para me xingar nos comentários, respire. O que apresentei aqui não é uma verdade absoluta. Na minha opinião não vale a pena, mas talvez na sua seja o ideal. Por este motivo compartilhe sua opinião e mostre por que, para você, um iPad com Wi-Fi+3G vale a pena. 🙂

Posts relacionados

Comentários