Halex bodejando: a Apple erra, e erra feio, com ou sem Steve Jobs no cargo de CEO

Steve Jobs e Tim Cook

Mesmo com 1 milhão de ações da Apple fresquinhas em seu nome, eu não sei se queria estar na pele de Tim Cook agora. Claro, ser CEO da Apple é uma tarefa hercúlea, coisa que pode acabar com a sanidade de qualquer ser humano comum, dada a magnitude de todas as decisões a serem tomadas, mas uma coisa em especial multiplica por 1 milhão a responsabilidade dele: trabalhar sob a sombra da frase “Foi só o Steve sair…”

Steve Jobs e Tim Cook

“Tô de olho em você, Tim.” “Eu sei, Steve, você e o mundo inteiro…”

Maçã com minhocaNinguém merece isso. Digamos que a Apple lance um produto daqui a um mês e dito gadget não faça sucesso. De quem será a culpa? Do Cook, e unicamente dele. É como ficar responsável por um computador durante cinco minutos e ele simplesmente derreter enquanto está na sua mão.

Convém, portanto, lembrar de uma coisa que muita gente gosta de varrer pra baixo do tapete: a Apple erra, e erra muito, sempre errou e vai continuar errando, com ou sem Steve Jobs ocupando o cargo de CEO.

Primeiro erro? O mouse do Macintosh, com apenas um botão. Steve simplesmente achava que dois botões eram complexidade demais para os usuários. Quase 30 anos depois, e a Apple continua fabricando mouses e trackpads com um único botão, mas facilmente configuráveis para agir como se tivessem dois. Sinceramente, quantas pessoas no mundo usam Ctrl+clique para chamar um menu contextual?

Mouses da Apple

E, por falar em mouse, que tal olhar para todos, absolutamente todos os ratos da Maçã? Difícil decidir qual o pior em termos de ergonomia e usabilidade, mas acho que o Hockey Puck (a abominação que acompanhava o primeiro iMac) leva o prêmio, mas quase empatado com a bolinha de scroll amaldiçoada do Mighty Mouse. O Magic Mouse é uma maravilha para olhar de longe, mas nem mesmo os executivos da Apple conseguem usar essa porcaria sem se atrapalhar: está lá nas keynotes, basta prestar atenção! Não é à toa que o futuro está nos trackpads — os mouses da Apple simplesmente não prestam.

Preciso falar do Power Mac G4 Cube? Melhor tocar num assunto mais obscuro: alguém lembra de uma geração de MacBooks branco que não tenha sofrido com algum problema sério? Sejam cases rachadas ou fundo emborrachado que descola, os branquinhos já foram tarde. E nem vou falar das baterias que incham… Melhor usar a capacidade de carga inteira sua em dois anos, ou vai perdê-la de qualquer jeito (não sei quanto aos de bateria selada, mas a hora da verdade para os primeiros modelos deles está chegando).

iPod shuffle na mão

Em termos de iPods, que tal a terceira geração do shuffle, a sem botões? Tenho certeza de que Jobs em pessoa aprovou o design (que eu adoro: tenho um e não me arrependo), mas foi um fiasco. Talvez isso não fosse um problema tão grande se a qualidade do áudio dos fones de ouvido que vêm com o gadget não fosse uma lástima. Quanto aos fones In-Ear, bem… o que eles têm de qualidade sonora, perdem em durabilidade. Aquela borracha no cabo é feita à base de parafina, pra derreter com o tempo? #WTF

Quem pensa que iGadgets estão imunes, pode tirar o cavalinho da chuva: sem nem tocar no “Antennagate”, convém chamar a atenção para o fenômeno de morte súbita que alguns iPhones e iPods touch (o meu, inclusive) sofrem. Depois de um ano e meio, dois anos, alguma coisa neles simplesmente faz a antena Wi-Fi parar de funcionar e a autonomia da bateria despenca, do nada, literalmente da noite pro dia.

Enfim, a Apple não é perfeita, mas ela tem uma coisa que praticamente nenhuma outra empresa que produz eletrônicos tem: os produtos dela são um prazer de usar, e não um trabalho. Ah, você quer um Android ou um PC? Beleza: se prepare para servir de babá pro dito cujo, instalando, configurando, customizando e perdendo tempo com coisas que não têm nada a ver com o que você realmente quer fazer. Estando disposto a fazer isso (e tem gente que adora, se orgulha até do quanto trabalha para fazer um aparelho funcionar), esses produtos são a glória! Já eu, prefiro me dedicar às coisas que realmente curto fazer, como escrever, navegar na internet, ler e manter contato com pessoas queridas. Instalar ROMs customizadas… bem, eu estou velho demais pra perder tempo com isso.

E, cá pra nós, por viver com muito pouca grana, acho que eu sou uma pessoa qualificada para dizer que a concorrência é mais que bem-vinda para fazer produtos que concorram com os da Apple, especialmente em preço — especialmente se fabricados no Brasil, sem os típicos 100% de impostos em cima. Só que uma coisa é concorrer, outra é lançar porcaria que custa praticamente o mesmo (ou mais, muito mais) que um iProduct e chamar isso de alternativa. Por exemplo, que tipo de idiota faz os trackpads dos PCs, para 90% deles serem uma droga?

Mas já estou divagando… o que eu queria dizer é que, quando (e não “se”) a Apple der mais uma de suas falhas épicas, não sejam óbvios, não ponham a culpa no Cook: com ou sem o Jobs no cargo de CEO, nossa querida Maçã vai continuar com caroço — assim como com um sabor muito mais doce que os limões de Dells, HPs (oops, essa pediu pra sair), Acers e Motorolas (oops, mais uma que foi engolida pelo mercado) Samsungs da vida.

And that, as they say, is that.

Posts relacionados

Comentários