Enfim, a Sprint conseguiu o que queria: ela vai vender não apenas o iPhone 4S, como também o 4

iPhone 4 na Sprint

iPhone 4 na SprintOs rumores começaram como um sussurro, mas foram crescendo até ficarem ensurdecedores (e ensandecedores). Hoje, eles acabam com uma concretização parcial: sim, o iPhone 4S e o 4 estarão à venda na Sprint, o que aumenta para três o número de operadoras parceiras da Apple nos Estados Unidos (o 3GS continua sendo o precioooso da AT&T). Por outro lado, não, a operadora não parece ter conseguido um acordo de exclusividade para vender o inexistente iPhone 5.

Agora começa a parte interessante: ver como a telecom vai se sair vendendo o smartphone mais famoso do mundo. Uma coisa que ficou no ar depois do rumor de ontem sobre um contrato de US$20 bilhões com a Apple, obrigando a Sprint a vender 30,5 milhões de iPhones ao longo de quatro anos, foi a sensação de que essa será uma tarefa muito difícil de cumprir. Será?

Horace Dediu, do asymco, analisou o assunto e chegou à conclusão de que essa quantidade de iPhones não é nada de especial. Como dá pra ver no gráfico abaixo, AT&T e Verizon conseguiram vender iPhones para uma determinada fração do número total de seus clientes. Fazendo as contas do tanto de iPhones que a Sprint precisa vender, chega-se a uma fração similar.

Vendas de iPhones para a Sprint cumprir o contrato com a Apple - asymco

No fim das contas, quem vai sair ganhando são os clientes da operadora, que finalmente terão acesso ao iPhone e não vão mais precisar se contentar com o Android — como eu sempre digo, o sistema do Google é uma espécie de “proposição negativa” que floresce apenas quando há um empecilho (mental, material ou logístico) para um consumidor ter o celular da Apple.

[via Engadget]

Posts relacionados

Comentários