Será que o iMessage vai prejudicar as operadoras?

iMessage rodando em iPhones 4S

De acordo com uma reportagem do NYTimes.com, o iMessage, novo serviço de mensagens entre iGadgets que funcionará tanto via 3G quanto Wi-Fi, ameaçará bastante as telecoms parceiras da Apple.

iMessage rodando em iPhones 4S

Falando especificamente do mercado norte-americano, o SMS (mais conhecido por aqui como “torpedo”) é um negócio bilionário. Mais de 2 trilhões(!) de mensagens são enviadas por ano no país, de acordo com Craig Moffett, analista da Sanford C. Bernstein. O tamanho desse bolo? US$20 bilhões(!!), sendo que somente a Verizon Wireless fica com uma fatia de US$7 bilhões. É muito, muito dinheiro!

Trata-se de um serviço muito barato — ele utiliza a mesma rede usada para as comunicações de voz — e, de acordo com um especialista no assunto, o custo de uma mensagem, para a operadora, gira em torno de US$0,03, que cobra cerca de US$0,20 para o envio/recebimento de uma mensagem. Você já viu uma margem dessa para algum outro produto/serviço do mercado? Eu, sinceramente, não me recordo de nada parecido.

E o que as operadoras pretendem fazer para combater essa nova classe de serviços que trocam mensagens através da internet? A AT&T foi esperta o suficiente para cancelar seu plano de US$10 mensais que oferecia 1.000 mensagens de texto, o que convenhamos, é suficiente pra muita gente. Em vez disso, agora o cliente é “obrigado” a assinar um plano de US$20, que dá direito a SMSs ilimitadas. É ou não é uma bela forma de encoleirar o cliente? Caso contrário, o custo unitário da mensagem seria de US$0,20. Como disse, provavelmente as 1.000 mensagens contidas no plano de US$10 eram suficientes pra muita gente, mas já que o negócio está “ameaçado”…

iOS 5 em iGadgets - iMessage

Já a Verizon afirmou que o iMessage nada mais é do que uma função complementar para outros meios de comunicação. “Da perspectiva de negócio, consumidores ainda precisam de um plano de dados para se conectar. Eles estão apenas escolhendo como usar esses dados”, disse um porta-voz da empresa. Pareceu-me uma declaração coerente, de uma empresa que sabe o que lhe aguarda no futuro. Resta saber se ela usará a mesma estratégia da AT&T, só que para os planos de dados.

Sinceramente? Esse tipo de serviço não é novidade pra ninguém. BBM (BlackBerry Messenger), WhatsApp, Viber, o novo ChatON e muitos outros existem faz tempo e as operadoras já sabem disso.

É claro que um serviço da Apple é uma ameaça maior, pois a empresa pode até demorar para oferecer alguma coisa, mas, quando o faz, é bem-feito. Contudo, por enquanto, ele é exclusivo para iGadgets, sendo necessário o iOS 5 para usar o sistema de IM. Sabemos que a Apple está vendendo muitos iPhones, iPads, etc., mas o smartphone da empresa representa 5% do total de SMS enviados por ano, segundo a firma Chetan Sharma.

Na minha opinião, isso só poderá ser encarado como “problema” para as operadoras se a Apple tornar o iMessage um padrão aberto, coisa que ela disse que faria com o FaceTime e ainda está devendo. Quem sabe levando o iMessage para o OS X, de preferência integrando iChat, FaceTime e iMessage em um único aplicativo. Enquanto isso, as operadoras podem ficar tranquilas: ainda vão conseguir extorquir rentabilizar muito em cima das famosas mensagens de texto.

[via AppleInsider]

Posts relacionados

Comentários