Motorola anuncia DROID RAZR e MOTOACTV para concorrer com o iPhone 4S e o iPod nano

MOTOACTV

Hoje em um evento intitulado “Faster. Thinner. Smarter. Stronger.”, o Google a Motorola apresentou dois novos produtos que deverão concorrer diretamente com o iPhone 4S e o iPod nano, respectivamente o DROID RAZR e o MOTOACTV. Este é basicamente uma versão anabolizada do pequeno tocador de músicas da Maçã: dotado de um processador de 600MHz (rodando o Android, claro), GPS, Bluetooth 4.0 e rádio FM, o MotoACTV é descrito como o acessório perfeito para exercícios.

MOTOACTV

Ele é capaz de “aprender” quais músicas melhoram o desempenho do usuário, monitora batimentos cardíacos (com o auxílio de fones especiais, vendidos separadamente) e pode armazenar até 4.000 músicas, mas a cereja no topo é, na minha opinião de pessoa que sofre de hiperidrose, o fato de ser à prova de suor e chuva. Sua touchscreen de 1,6 polegada é feita com Gorilla Glass e pode ser vista ao ar livre, inclusive para receber chamadas e mensagens de texto quando sincronizado com Androids compatíveis.

MOTOACTV

O MOTOACTV estará à venda em 6 de novembro, por US$250 (8GB) e US$300 (16GB), o que o coloca num patamar de preços acima do iPod nano — algo justificável pela quantidade de recursos a mais que ele oferece, mas é meio estranho pagar por este gadget mais que por um iPod touch. Os fones para monitoramento cardíaco custam US$100 (com fio) ou US$150 (sem fio).

Tentar ser mais premium que uma das marcas mais premium do planeta, porém, não tem preço: parece que a Apple vai acabar virando a empresa que faz os produtos mais acessíveis do mercado. Loucura, né?

DROID RAZR

Agora, vamos ao smartphone: o DROID RAZR é basicamente mais um Android típico, completamente focado em especificações brutais e números assombrosos comparados exaustivamente com os do (já) líder absoluto de mercado, o iPhone 4S. Super AMOLED qHD de 4,3 polegadas com 960×540 pixels (100 pixels mais estreita que uma tela Retina, em termos de resolução), processador dual-core de 1,2GHz rodando Android 2.3.5, 1GB de RAM, 16GB de memória (com mais 16GB via cartão SD), compatível com a rede LTE da Verizon, bateria com autonomia de 12,5 horas de conversação ou 8,9 horas de vídeo e 7,1mm de espessura — ou seja, é o smartphone mais fino do mundo… mas com uma “bundinha” para a câmera de 8 megapixels, o que já prejudicou a Samsung nesse tipo de declaração.

DROID RAZR

Ele é dotado de um sistema de gerenciamento de energia chamado SmartActions, que faz coisas como desligar o Bluetooth quando você chega em casa ou reduzir a velocidade do processador durante chamadas (além de comandos que você mesmo pode configurar) e, para concorrer com o iCloud, a Motorola lançou o MotoCast, uma “nuvem pessoal” que permite que você transfira músicas, vídeos, fotos e documentos do seu computador direto para o smartphone. Assim como o MOTOACTV, o RAZR usa Gorilla Glass e é resistente a líquidos, graças à (nano)tecnologia Splash Guard de proteção contra respingos.

O DROID RAZR custará US$300 com contrato de dois anos (mais uma vez, vantagem de preço da Apple). A pré-venda começa na Verizon Wireless em 27 de outubro, com a data de chegada prevista para novembro. Se alguém quer saber o quanto as pessoas estão insatisfeitas com o iPhone 4S, é só olhar para as vendas deste smartphone: ele é basicamente a encarnação de tudo o que mais se reclama do gadget da Maçã.

Faltou só um teclado físico.

[via Engadget: 1, 2, 3]

Posts relacionados

Comentários