Mais da biografia de Jobs: num universo paralelo, iPads poderiam ser equipados com chips Atom da Intel

Processador A5 Intel Inside

Eis mais uma curiosidade vinda da biografia de Steve Jobs: num universo paralelo, o iPad poderia ser movido a chips Atom da Intel. Heh, se era pra ser ruim, talvez ele até rodasse Flash! Brincadeira, brincadeira. Essa ideia maravilhosa, de usar os processadores da Chipzilla, teria vindo de ninguém menos que o próprio Jobs, tendo ele sido demovido por Tony Fadell. O então chefe da divisão do iPod teria chegado ao ponto de, numa reunião em que Jobs defendia o uso de processadores Intel no iPad, gritar “Tá errado, errado, errado!” #CORAGEM

Processador A5 Intel Inside

O executivo chegou a ameaçar pedir demissão no ato, caso não fosse ouvido, e tanta pressão fez Jobs recuar. “Não vou contra os meus melhores homens”, teria dito o então CEO da Apple. Ufa! Fadell estava, afinal de contas, certíssimo e hoje os iGadgets são econômicos, eficientes e poderosos graças a esse momento crucial na história da Apple.

O legal é que Jobs mudou dramaticamente de ideia em relação aos processadores da Intel, comparando-os com navios a vapor, além de não achar que fosse proveitoso ensinar um monte de coisa para os profissionais da fabricantes de chips e depois vê-los aplicando tudo a produtos de concorrentes. Esse temor era bem fundado, afinal de contas os Ultrabooks nada mais são do que exatamente isso, só que aplicado ao MacBook Air.

O resultado dessa mudança de direção está nas vendas de CPUs ARM para tablets: segundo o DisplaySearch Tablet Quarterly, destacado pelo DigiTimes, as vendas desses chips deverão crescer 211% em 2011, chegando a quase 60 milhões de unidades — e esse número poderá disparar para 330 milhões em 2017. Enquanto isso, processadores x86 para PCs (e Macs) não deverão ver um crescimento nada perto disso, com a entrada do Windows 8 provocando algum impacto apenas a partir de 2013.

[via 9to5Mac]

Posts relacionados

Comentários