Dica de leitura: “Steve Jobs e Eu”, por Brent Schlender

Steve Jobs na capa da FORTUNE

Steve Jobs na capa da FORTUNEQuem quiser, pode se pôr de joelhos e dizer “Até que enfim, alguma coisa que não está na biografia do Jobs!” Não, isto não está na biografia do Jobs (acho): Brent Schlender escreveu para a Fotune um texto imenso (quase oito páginas, se impresso com o Safari Reader) cheio de lembranças acumuladas ao longo de 20 anos acompanhando de perto a carreira de Steve Jobs. Tal artigo estará na edição de 7 de novembro da revista, mas ela pode ser lida no site.

E vale a pena! Schlender conta histórias como quando suas filhas foram convidadas para ver uma versão ainda não finalizada de Toy Story na casa de Jobs. O ex-CEO da Apple perguntou a elas “É tão bom quanto Pocahontas?” e as meninas afirmaram com a cabeça; depois, ele foi mais longe e perguntou “Bom, e é tão bom quanto O Rei Leão?” e uma delas, esperta, disse “Não vou poder me decidir até ver Toy Story mais umas cinco ou seis vezes.”

Outro “causo” envolve a AOL Time Warner e como El Joboso traçou uma estratégia para salvar a companhia. Depois de descascar a divisão de internet discada e dizer que ela era algo do século passado, Jobs foi abordado por um dos executivos dizendo “Então você acha que não tem jeito.” Jobs respondeu “Eu não disse isso. Eu sei como dá pra consertar. Só que eu não estou interessado.” Daí ele pegou um marcador, foi ao quadro-branco e passou 15 minutos descrevendo uma estratégia que a AOL eventualmente seguiu.

No final da explicação, ele simplesmente colocou a tampa no marcador e falou “É isso o que eu faria. Mas, como eu disse, não estou interessado.” Powwwhã, se isso é não estar interessado, imagina o que seria de interesse!

Essas foram apenas duas cenas de muitas (MUITAS) outras. #FikDik

[via Fortune Tech]

Posts relacionados

Comentários