Apple, Microsoft e outras 27 empresas apoiam o SOPA, projeto que pode minar a internet

Logo preto da Apple

Logo preto da AppleO Stop Online Piracy Act (SOPA) é um projeto de lei que é recheado de boas intenções: impedir a proliferação da pirataria e outros crimes contra propriedade intelectual.

Com sua aprovação, porém, o governo federal dos Estados Unidos poderá decretar que um site acusado de infringir copyright seja posto em uma lista negra de DNS e sistemas de busca (tornando-se inacessível, por assim dizer), e isso não é visto exatamente como algo saudável para a liberdade na internet — na verdade, é um tipo de fechamento comparado ao que existe na China.

Grupos como Mozilla, 4Chan, Reddit, Tumblr, Facebook, AOL, Wikimedia, ACLU, Twitter, Google, LinkedIn e Yahoo! já se manifestaram contrários à iniciativa.

Certas empresas, porém, ainda não se pronunciaram abertamente, mas têm algo bem chato depondo contra si. Adobe, Apple, Autodesk, AVEVA, AVG, Bentley Systems, CA, Cadence Design Systems, CNC Software, Compuware, Corel, Dassault, Dell, Intel, Intuit, Kaspersky, McAfee, Microsoft, Minitab, Progress Software, PTC, Quark, Quest, Rosetta Stone, Siemens, Sybase, Symantec, TechSmith e The MathWorks compõem a Business Software Alliance, um grupo que defende ativamente o SOPA. Daí, podemos dizer que todas estas 29 companhias apoiam e financiam, ainda que indiretamente, esse projeto de lei com potencial para restringir severamente a liberdade na internet.

Trazer esse fato à tona, como fez o The Next Web, pode levar muitos desses nomes a se pronunciarem e se posicionarem publicamente diante de seus clientes. É hora de falar abertamente.

Posts relacionados

Comentários