“IQgate”: software da Carrier IQ também foi encontrado no iOS [atualizado: Apple se pronuncia]

iPhone 4S deitado e de lado

A mídia internacional está fervendo com o “escândalo” envolvendo o rootkit da Carrier IQ instalado em quase 150 milhões de Androids, BlackBerries e Nokias, e a coisa tem tudo para ganhar o status de “IQgate” agora que há evidências de que nem o iPhone escapou. Yep: segundo apurou Grant Paul, mais conhecido como chpwn, há traços desse software no sistema operacional móvel da Apple desde a versão 3.0(!). Durma com esse barulho.

iPhone 4S deitado e de lado

Calma! Abaixe a marreta, não destrua seu iPhone, achando que ele registrou todas as suas informações comprometedoras e as enviou para os servidores da Carrier IQ! O que chpwn descobriu e foi ratificado por Erica Sadun, do TUAW (ou seja, um ninja confirmando a descoberta do outro), é que sim, o dedo da Carrier IQ está presente no iOS, mas que ele é bem menos intrusivo que o exemplo visto no Android — ele é chamado de “benigno”, inclusive.

Comparemos: enquanto em um modelo de HTC com o sistema do Google até as buscas feitas em HTTPS são registradas (ainda que esteja no ar se elas são de fato enviadas ou não para algum lugar), no iOS há chamadas destinadas basicamente a coletar informações de antenas de telefonia celular e em nenhum momento o daemon tem acesso a camadas superiores da interface, nas quais seria possível registrar o que é digitado, por exemplo. Além disso, é possível desligar completamente tal “serviço”, bastando acessar nas preferências do iPhone o menu General » About » Diagnostics & Usage e desligar a opção “Sending Automatically”. Muito menos suspeito do que o app indesligável que vimos ontem no Android…

Isso faz do Google o vilão na história? Não: o The Verge obteve de um de suas fontes a informação de que nenhum gadget com o Android “puro” (ou seja, sem o dedo de fabricantes ou de operadoras) foi infectado com o rootkit da Carrier IQ. Se eles não foram, por que o iPhone foi? Suspeita-se que isso possa fazer parte das exigências de parcerias da Apple com as telecoms. Resta, porém, a pergunta de por que o Google permitiu que Androids com o rootkit passassem nos testes de compatibilidade que ele mesmo exige.

Se havia uma hora para os consumidores se voltarem contra as operadoras, ela chegou: começou o “IQgate”, e que não fique tecla sobre tecla! Enquanto isso, sabe qual sistema operacional móvel não tem nenhum traço de Carrier IQ, além dos Androids “puros”? Windows Phone 7. 😛

[via The Next Web]

Atualização

Um momento de silêncio para ouvirmos o que a Apple tem a dizer sobre o assunto, segundo apurado pelo AllThingsD:

Paramos de dar suporte ao Carrier IQ no iOS 5 na maioria dos nossos produtos e vamos removê-lo completamente em um futuro update de software. Com quaisquer dados de diagnóstico mandados pra Apple, os clientes devem aderir ativamente ao compartilhamento de informações, e, se eles o fizerem, os dados são mandados de forma anônima e criptografada e não incluem quaisquer informações pessoais. Nunca agrupamos o que é digitado, mensagens ou qualquer outra informação pessoal com dados de diagnóstico e não temos planos de fazê-lo.

Uma coisa é curiosa: todo mundo, não só a Apple, está afirmando coisas semelhantes. “Não, não fazemos isso, não colocamos isso em nossos aparelhos, não coletamos esses dados!”

Ok, beleza… então como foi que isso tudo começou, mesmo? Parece que ninguém é responsável por pagar as contas da Carrier IQ — ela deve viver da graça divina.

Posts relacionados

Comentários