Na batalha de navegadores, Mobile Safari do iOS 5 é (ligeiramente) melhor que o browser do Android

Sencha sobre browsers mobile

Velocidade: principal comparação antes de comprar algo, quanto mais um navegador da web. Mostramos a “corrida” entre o Lion e o Snow Leopard e recentemente também observamos a velocidade do navegador “acelerado” do Kindle Fire em relação ao Mobile Safari no iPad 2 — claro, a tablet da Amazon perdeu feio. Agora, quem tem o melhor browser: Android 4.0 ou iOS 5? Eu ia fazer suspense (embora seja óbvio), mas o título já denunciou a resposta…

A fundação Sencha publicou um artigo sobre testes comparativos dos navegadores do iPad 2 com o iOS 5 e do Samsung Galaxy Nexus com o “Ice Cream Sandwich” observando os seguintes critérios: precisão e desempenho de renderização, suporte a recursos HTML5/CSS3 e desempenho JavaScript.

No teste padrão Acid3, no qual foi avaliada a renderização, ambos tiveram ótima pontuação. Em outro teste de desempenho foi verificada a resposta do gadget para solicitações com tarefas “pesadas”, levando o JavaScript ao limite. Veja os resultados abaixo:

Sencha sobre browsers mobile

Barras menores = tempo menor = desempenho melhor.
OBS.: Kindle Fire e BlackBerry PlayBook colocados apenas por curiosidade.

Tirando o estranho e irrelevante fato de o Kindle Fire ter obtido o melhor desempenho com regexp, o iPad 2 e o Nexus também registraram resultados semelhantes: cada um com sua fraqueza, considerando ainda o resultado do teste em milissegundos.

A morte súbita aconteceu no teste em habilitades específicas de HTML5, o único trazendo um vencedor claro. Embora ambos aparelhos ofereçam um arsenal impressionante nessa linguagem de programação, o iOS 5 tem uma vantagem em diversos pontos dignos de nota:

Sencha sobre browsers mobile

Destes, os mais importantes são “Web Sockets” e “Web Workers”. Simplificando: aquele permite a comunicação bidirecional entre os sites/dispositivos (para a funcionalidade em tempo real) e este, a execução de vários scripts ao mesmo tempo, localmente no dispositivo. Em termos ainda mais simples, eles são peças fundamentais para web apps poderem trabalhar mais como aplicativos nativos.

Que diferença isso faz? Para um desenvolvedor, toda. Mas a maioria dos usuários pode nem mesmo notar alguma diferença, levando a escolha por preferência pessoal apenas.

[via TechCrunch]

Posts relacionados

Comentários